sábado, 21 de março de 2009

Lavadeirinhas



CLEVANE DE ASAS


Lavadeirinhas
Clevane Pessoa

Para amenizar a lida,
as lavadeiras de Minas
lavam cantando demais
o que lhes vai pela vida...

Rezam louvando a Maria,
cantarolam seus amores,
em coro choram suas dores,
sérias, mostram sua alegria,,,

Nas pedras batem os panos,
às vezes soltam risadas
enquanto dão suas braçadas,
as mesmas de tantos anos...

Às vezes, roupas perseguem,
que lhes fugiram das mãos,
os peixes são seus irmãos
por mais que os peixes o neguem...

Velho Chico, um grande rio,
acostumado às cantigas,
vê nelas grandes amigas,
a ninar seu passadio...

Os passarinhos se intrigam:
de que penas são tais vozes,
cantando lentas, velozes,
que sobre as margens se abrigam?

No Jequitinhonha, do Alto
cantam tanto as de Almenara,
que seu coro, qual jóia rara,
está num CD bem lauto...

Cantavam as ribeirinhas,
em Portugal, no passado,
e ao vir prá cá, com agrado,
trouxeram suas musiquinhas...

Por isso cantam as baianas
quando lavam na Abaeté,
linda lagoa - e com fé,
rezem sagradas, profanas...

Sobre madeira flutuante
- cada mulher tem seu porto
por questão de mais conforto
a cabocla lava expectante:

vigia se o boto aparece,
peixe em moço tranformado,
um sedutor encantado
(senão a barriga cresce)...

As roupas brancas clareadas
à luz do sol, clareador,
ficam alvas, sim senhor
e depois serão engomadas...

São lindas as lavadeiras,
em belas coreografias
ensaiadas todos dias,
dançam e cantam faceiras

E esse show, sem ser ensaiado
toca qualquer coração,
pois corpos, braços, sabão,
são um todo sincronizado...

Que cantem sempre, avezinhas:
desaparecem os cansaços
nas canções alegrezinhas
que são seus melhores traços!...

Trovinhas Arcaicas
Rosa Magaly Guimarães Lucas
- Eire

Ver tanta quadrinha linda,
Fez chorar meu coração,
Ao lembrar Vovó Arminda
Cantando-me essa canção:

-“Nossa Senhora,
Na beira do rio,
Lavava os paninhos
De seu bento fio.

Nossa Senhora lavava,
São José estendia,
E o menino chorava,
Do frio que fazia”.

Lembrei das noites de frio
De onde eu nasci, Barbacena;
Também das manhãs de estio
Na beira-rio serena

Sempre ouvia as lavadeiras
Com seus cantares de Minas,
Roupa a "quarar nas toiceiras”,
Olho vivo em suas meninas.

... E as águas do rio passavam
P’las lavadeiras supimpas,
Que quanto mais esfregavam
Deixavam as roupas mais limpas.

As Borboletas buscavam
Uma flor para pousar;
“Lavadeirinhas” passavam
Pelas águas a raspar.

Nas árvores passarinhos
Pousados a pipilar,
Faziam sons bonitinhos
P’ra lavadeira escutar.

Cada lavadeira tinha
Seu pontinho reservado,
E sonhava a pobrezinha,
Com seu Príncipe Encantado;

Aquele que nunca vinha,
Ai, meu Deus, ai quem me dera,
Cantava a lavadeirinha,
Mas era tudo quimera.

Agora, me surge a Nana,
Moça bonita, brejeira,
Que era morena e baiana,
Ah, meu Deus, que pasmaceira,

“Creditô” no Binidito,
Pois mais que a gente falasse;
O moreno era bonito,
Posudo e cheio de classe.

Passado uns tempos Maria
‘tava com barriga d’água.
Como Vovó me dizia,
Co’ os olhos cheios de mágua.

Passado uns meses vim embora
Com meus pais... vim para o Rio;
Mas me lembro até agora
Daquelas manhãs de estio

Lá na beira do regato
Onde tinha um ingazeiro,
E tenho até um retrato
Desse recanto mineiro.

Jacaraípe, Serra, Espírito Santo,
30 de novembro de 2004.

Lavadeira
Maria Petronilho

Lavadeira pobrezinha
Que lavas roupa no rio
Com água pelo joelho
Mesmo tremendo de frio

Ai tantas rendas que passam
Pelos teus dedos de seda
E tu, lavadeira, nem botas
Nem lenço sobre a cabeça!

Quantas peças tinha o rol
Que recolheste à tardinha?
Cada peça a um vintém,
Lavadeira pobrezinha....

Coram anáguas tão ricas
Na erva verde da margem
Crias teus filhos das côdeas
Que sofres, mulher coragem!

3.12.2004


Lavadeiras
Sônia Maia

Lá no rio, as lavadeiras,
A cantar e lavar roupas
Em baixo das laranjeiras.
Lavam muitas, lavam poucas!

Sempre lavam a cantar
A canção das lavadeiras,
Cantam para se alegrar
As canções que são faceiras!

Batem a roupa na pedra
Para a limpeza aumentar
Não temem trabalho medra.
Gostam de ficar a lavar.

O rio espera sorrindo
As lavadeiras chegar,
Chora ao vê-las partindo
Com saudade do seu cantar.

Recife, 04/12/04

LAVADEIRA
Nilson Matos Pereira

Cedinho ainda, logo que amanheça
A lavadeira trouxa, na cabeça
Caminha pela estrada, deixa o lar
E busca o açude, eis que a água é pouca
E numa pedra bate como louca
A roupa que carrega pra lavar

E bate e bate e bate a lavadeira
Às vezes canta que é pra se animar
A roupa sobe e desce e à primeira
Mais lavadeiras surgem pra lavar

As peças não são delas, mas dá gosto
Ouvir a cantoria e ver o rosto
De cada lavadeira batucando
Espuma vai formando lençóis brancos
Água carrega, bate nos barrancos
Enquanto a criançada vai brincar

E bate e bate e bate a lavadeira
E geme a pedra sem se machucar
Está tomada agora a ribanceira
É ganha pão pra quem quer trabalhar

Enquanto isso, aqui, linda cidade
Nem mais açude há, barbaridade!
Mulher de tudo faz, fora do lar
A máquina ensaboa, bate e lava
Aquela espuma branca que encantava
Vai pelo cano e perde-se no mar

Araranguá (SC), 061204

----------------------------------------------------------

Meu poema Lavadeirinhas, foi publicado em poster, feito por Marco Llobus, e vem sido distribuido em eventos ou enviado a amigos pelo Correio.

Em meu site Clevane de Asas, feito por Paola Caumo, ele está publicado, seguido por outros poemas, de amigos (acima).

O endereço do site:http://br.geocities.com/clevanedeasas/lavadeirasemvoo.htm

Marcadores:

quinta-feira, 19 de março de 2009

CONCURSO: PRÊMIO SÃO PAULO DE LITERATURA 2009


EDITAL

“CONCURSO: PRÊMIO SÃO PAULO DE LITERATURA 2009”

O GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO, por intermédio de sua SECRETARIA DE ESTADO DA CULTURA, com sede na Rua Mauá 51, Cidade de São Paulo, Estado de São Paulo, representada por seu secretario, Sr. João Sayad, institui o Concurso “PRÊMIO SÃO PAULO DE LITERATURA 2009” (adiante referido como PRÊMIO), nos termos e condições estabelecidas neste Edital, que se regerá pela Lei Estadual nº 6.544/89, pela Lei Federal nº 8.666/93, e respectivas alterações, assim como pelas demais normas legais e regulamentares pertinentes à espécie, inclusive pela Resolução SC - 04/09.

1 – DO OBJETO
1.1. Estabelecer normas e condições para a seleção de livros escritos em língua portuguesa editados no Brasil em 2008, tendo como finalidade conferir 2 (dois) prêmios:
a) Prêmio São Paulo de Melhor Livro do Ano de 2008; e
b) Prêmio São Paulo de Melhor Livro - Autor Estreante do Ano de 2008.

2 – REQUISITOS PARA A HABILITAÇÃO
2.1. Serão considerados neste PRÊMIO os livros que preencham cumulativamente os seguintes requisitos:
2.2. Quanto ao livro:
a) categoria: ficção no gênero romance;
b) escrito originalmente em língua portuguesa;
c) primeira edição mundial obrigatória no Brasil;
d) primeira edição no período compreendido entre 1º de janeiro de 2008 e 31 de dezembro de 2008;
e) em modelo impresso.
2.3. Serão considerados neste PRÊMIO livros de autoria única ou escritos em co-autoria, desde que não façam parte de compilações ou compêndios.
2.4. Para concorrer ao Prêmio São Paulo de Melhor Livro - Autor Estreante do Ano de 2008, o livro deverá ter sido escrito por autor que não tenha publicado outro livro de ficção no gênero romance.
2.5. Não serão aceitos livros cujo conteúdo (parcial ou completo) tenha sido publicado, nas formas impressa e/ou virtual, antes do período determinado no item 2.2. (d).
2.6. Os livros somente poderão ser inscritos em uma única categoria de Prêmio.

3 – INSCRIÇÕES
3.1. As inscrições poderão ser feitas entre 13 de fevereiro de 2009 e 30 de março de 2009, nos dia úteis, das 9:00 às 12:00 e das 13:00 às 17:00, mediante a entrega dos documentos exigidos no item 4. diretamente no Núcleo de Protocolo e Expedição, da Secretaria de Estado da Cultura, situada na Rua Mauá, 51, Bairro Luz, São Paulo – SP , CEP: 01028-900, ou por Via Postal com Aviso de Recebimento (A.R) ou SEDEX com A.R, dentro de uma única embalagem (Envelope, Pacote ou Caixa), com a identificação “CONCURSO: PRÊMIO SÃO PAULO DE LITERATURA 2009”, contendo em seu interior os dois envelopes lacrados conforme descritos no item 4.
3.2. Na hipótese de mais de uma inscrição para o mesmo livro, será considerada válida a primeira inscrição realizada.

4 – DA DOCUMENTAÇÃO
I. (ENVELOPE 1)
4.1. No caso de inscrição feita pelo autor:
a) Ficha de requerimento de inscrição devidamente preenchida (Anexo I);
b) Cópia do R.G. (será considerado documento de identidade: carteira expedida pelos comandos Militares, pelos Institutos de Identificação, pelas Secretarias de Segurança Pública e pelos Corpos de Bombeiros Militares; carteira expedida pelos órgãos de fiscalizadores de exercício profissional (ordens, conselhos etc...); passaporte brasileiro, certificado de reservista, carteira funcional do Ministério Público, carteira profissional expedida por órgão público; carteira de trabalho, carteira nacional de habilitação (somente o modelo novo, com foto);
c) Cópia do CPF válido ou documento que contenha o número do CPF;

d) Nos casos de inscrição realizada por procurador do autor, deverá ser apresentado, juntamente com os demais documentos previstos no item 4.1., o respectivo instrumento de procuração, bem como cópia da Carteira de Identidade e CPF do procurador;
e) O autor menor de 18 (dezoito) anos de idade será assistido por seu responsável (pai/mãe ou representante legal), por meio de instrumento de procuração e apresentação de cópia da Carteira de Identidade e CPF.

4.2. No caso de inscrição feita pela Editora:
a) Ficha de requerimento de inscrição devidamente preenchida (Anexo II);
b) Cópia do CNPJ da Editora;
c) Cópia do CPF válido ou documento que contenha o número do CPF ou do R.G. do representante legal da Editora (vide subitem 4.1. (b)).

II – (ENVELOPE 2)
a) Deverá conter 10 (dez) exemplares do livro;
b) Não serão permitidas alterações, acréscimos e revisões no conteúdo do livro depois de o mesmo ter sido entregue.

5 – DOS ÓRGÃOS DELIBERATIVOS: CURADORIA E JÚRI
5.1. Considera-se, no âmbito deste Edital, que:
a) A Curadoria é formada por 05 (cinco) pessoas, sendo 04 (quatro) escolhidas pela Câmara Setorial de Literatura da Secretaria de Estado da Cultura; e a quinta pessoa um representante da Secretaria de Estado indicado pelo Secretário da Cultura. Todos os membros serão nomeados pelo Secretário da Cultura;
b) O Júri Inicial e o Júri Final serão compostos exclusivamente por professores universitários, escritores, livreiros, críticos literários e profissionais atuantes da área literária, preferencialmente por uma pessoa de cada área. O Júri Inicial e o Final são os responsáveis pela avaliação e votação dos livros concorrentes ao PRÊMIO em suas etapas sucessivas e de acordo com as regras definidas neste Edital.


5.2. Compete à CURADORIA:
a) Responder em nome próprio pelos resultados de todas as etapas do PRÊMIO, inclusive perante a imprensa brasileira e estrangeira;
b) Propor, para aprovação do Secretário da Cultura, os membros do Júri Inicial e Final;
c) Avaliar, em todas as etapas do PRÊMIO, o cumprimento pelos livros inscritos dos requisitos estabelecidos neste Edital;
d) Participar da divulgação do PRÊMIO, pelos meios que se colocarem;
e) Manter compromisso de sigilo quanto às informações das votações dos Júris de todas as etapas do PRÊMIO até a sua divulgação final;
f) Averiguar, a qualquer momento ou etapa do PRÊMIO até a divulgação pública do resultado da votação do Júri Final, se os livros inscritos cumprem os requisitos estabelecidos no item 2 deste Edital;
g) Deliberar por maioria simples de seus membros.

5.3. JÚRI INICIAL
5.3.1. O Júri Inicial do PRÊMIO é composto por 10 (dez) profissionais de reconhecido mérito e competência no meio literário, convidados mediante proposta da Curadoria e aprovação do Secretário.
5.3.2. O Júri Inicial tomará as decisões referentes à Primeira Etapa do PRÊMIO.
5.3.3. Compete ao Júri Inicial, entre 02 de abril de 2009 e 27 de maio de 2009:
a) Votar nos livros que vão compor duas listas de até 10 (dez) livros cada, sendo uma para o Melhor Livro do Ano de 2008 e outra para o Melhor Livro - Autor Estreante do Ano de 2008, as quais serão divulgadas.

5.4. - JÚRI FINAL
5.4.1. O Júri Final é composto por 05 (cinco) pessoas, indicadas pela Curadoria com os mesmos critérios do Júri Inicial.
5.4.2. O Júri Final tomará as decisões referentes à Segunda - e última - Etapa do PRÊMIO.
5.4.3. Compete ao Júri Final, em no máximo 45 (quarenta e cinco) dias:
a) A partir das listas dos livros finalistas obtidas na etapa anterior, eleger, por meio de votação, os dois ganhadores, um para o Prêmio São Paulo de Melhor Livro do Ano de 2008; e outro para o Prêmio São Paulo de Melhor Livro - Autor Estreante do Ano de 2008.
5.4.4. A votação do Júri Final será realizada em reunião presencial na sede da SEC.
5.4.5. Será escolhido um único livro vencedor para cada prêmio.

6 – ORGANIZAÇÃO
6.1. À Secretaria de Estado da Cultura, por meio da UFDPC, compete:
a) Aprovar a Curadoria e seu coordenador;
b) Aprovar o Júri Inicial e o Júri Final, mediante proposta da Curadoria;
c) Definir os termos e as formas de divulgação dos resultados de cada etapa do PRÊMIO;
d) Fazer a gestão geral de todas as etapas e atividades relativas ao PRÊMIO;
e) Participar de todas as etapas do PRÊMIO e das deliberações da Curadoria;
f) Apoiar técnica, logística e administrativamente os trabalhos, preparatórios ou de implementação, da Curadoria e do Júri do PRÊMIO, em todas as suas etapas;
g) Garantir todas as condições logísticas para atender as despesas com diárias e com passagens dos membros da Curadoria e do Júri, se for o caso;
h) Deliberar sobre todos os assuntos no âmbito do PRÊMIO;
i) Zelar pelo cumprimento do Edital do PRÊMIO;
j) Esclarecer e deliberar sobre eventuais dúvidas de interpretação do Edital do PRÊMIO.
6.2. A UFDPC poderá firmar parceria com Organização Social para a realização dessas tarefas relativas ao PRÊMIO.

7 – PREMIAÇÃO
7.1. O valor bruto do Prêmio é de R$ 200.000,00 (duzentos mil reais) para o Melhor Livro do Ano de 2008 e de R$ 200.000,00 (duzentos mil reais) para o Melhor Livro -Autor Estreante do Ano de 2008. Desses valores serão descontados os impostos previstos por lei.
Parágrafo Único: No caso de livro escrito em co-autoria, o valor do Prêmio será dividido em partes iguais entre os autores vencedores.
7.2. Os vencedores receberão certificado de premiação.
7.3. O valor do prêmio será pago aos vencedores em parcela única e em até 30 (trinta) dias úteis contados da data da divulgação do resultado da votação do Júri Final.
7.4. O pagamento do prêmio será efetuado mediante crédito em conta corrente em nome do vencedor, aberta em instituição bancária a ser definida pela Secretaria de Estado da Cultura.
7.5. O prêmio a que fará jus o vencedor é intransferível e inegociável, e terá validade até o dia 31 de dezembro do corrente ano. Em caso de renúncia à premiação, a SEC deliberará sobre a destinação do seu valor.
7.6. Excepcionalmente, no caso de falecimento do autor, o PRÊMIO poderá ser concedido in memorian. Nesse caso, a entrega será realizada a procurador legalmente constituído para esse fim dentre os herdeiros legais do autor premiado, desconsiderado o prazo fixado no item 7.3. deste Edital.

8 - GESTÃO
8.1. A gestão do PRÊMIO cabe à SEC.
8.2. A decisão do Júri Inicial e do Júri Final em todas as etapas do PRÊMIO será recorrível, limitada ao não atendimento dos requisitos do item 2 deste Edital. O recurso deverá ser endereçado à UNIDADE DE FOMENTO E DIFUSÃO DE PRODUÇÃO CULTURAL – UFDPC no prazo de 10 (dez) dias corridos contados após a divulgação das listas.

9 - DISPOSIÇÕES FINAIS
9.1. É vedada, neste concurso, a participação dos membros do Júri Inicial, Final, da Curadoria e de servidores pertencentes ao quadro da Secretaria de Estado da Cultura, inclusive credenciados, prestadores de serviços e funcionários das organizações sociais vinculadas a esta Secretaria, bem como de parentes até o segundo grau.
9.2. Todos os livros inscritos serão incorporados ao acervo da Secretaria de Estado da Cultura.
9.3. Os vencedores serão informados por carta e/ou por meio eletrônico.
9.4. A inscrição neste Concurso representa a concordância do Autor e da Editora com todos os itens deste Edital.
9.5. Será publicado aviso resumido deste Edital no Diário Oficial do Estado. O Edital estará disponível na íntegra no portal www.cultura.sp.gov.br e na Secretaria de Estado da Cultura.
9.6. Eventuais esclarecimentos referentes a este concurso serão prestados na Secretaria de Estado da Cultura, por meio da UFDPC, na Rua Mauá, 51 – Térreo, em dias úteis, pelos telefones: 11 2627-8268 e 2627-8145 no horário de 10:00 às 17:00 ou pelo email: fomento.sec@gmail.com
9.7. Compõem o presente edital:
Anexo I – Ficha de inscrição (Pessoa Física)
Anexo II – Ficha de inscrição (Pessoa Jurídica)

São Paulo, 13 de fevereiro de 2009.





JOÃO SAYAD
Secretário de Estado da Cultura

Marcadores:

TERTULIA LITERARIA ALLERANA XXXI CONCURSO DE CUENTOS“ALLER




"TERTULIA LITERARIA ALLERANA XXXI CONCURSO DE CUENTOS “ALLER”

Data Limite : 31/3/2009
Espanha - Barcelona


TERTULIA LITERARIA ALLERANA XXXI CONCURSO DE CUENTOS “ALLER”


La TERTULIA LITERARIA ALLERANA convoca el XXXI Concurso de Cuentos “ALLER”con las siguientes bases:

1ª.- Podrá concursar cualquier escritor, español o extranjero. Los originales serán INÉDITOS y en Lengua Castellana. El tema será libre. No podrán presentarse cuentos que hayan sido premiados en convocatorias anteriores.

2ª.- Habrá un único premio de MIL EUROS y un diploma para el relato que resulte ganador, y también las menciones honoríficas “VALENTÍN DE LILLO”, “CASTILLO DE SOTO” y “COLEGIATA DE MURIAS” para los tres primeros finalistas.

3ª.- La extensión del relato será de TRES hojas como mínimo y CINCO como máximo, en
Din A4, mecanografiadas por una sola cara y con doble espacio. Si se hace con ordenador, el tamaño de la letra será el 12. Los originales, POR TRIPLICADO, se remitirán firmados con seudónimo, y acompañados de plica o sobre cerrado en cuyo exterior figuren dicho seudónimo y el título del relato, y en el interior, en una cuartilla, nombre y apellidos, D.N.I., edad, teléfono y domicilio del concursante, así como un resumen de su currículo.

4ª.- Los originales se enviarán por correo a: TERTULIA LITERARIA ALLERANA (para el CONCURSO DE CUENTOS “ALLER”), Apartado de Correos, nº 3, 33670, Moreda de Aller (Asturias). EL PLAZO DE ADMISIÓN EXPIRARÁ EL DÍA 31 DE MARZO DEL AÑO 2009.

5ª.- El fallo del Jurado será inapelable. Dicho Jurado podrá declarar desierto cualquiera de los premios, si así lo considera oportuno. La entrega del premio se hará en acto público, en la fecha que se señale, que será forzosamente antes de que termine el mes de junio siguiente a la convocatoria. El ganador deberá leer en el citado acto el trabajo premiado.

6ª.- En caso de plagio, de presentación simultánea a varios concursos o de haber sido premiado el relato con anterioridad, éste será descalificado y desposeído su autor del premio, si resultó ganador. En este caso, la cantidad del premio será devuelta por el autor a la TERTULIA LITERARIA ALLERANA.

7ª.- Los originales que no se ajusten a estas bases serán excluidos del Concurso.

8ª.- Los originales pasarán a ser propiedad de la TERTULIA LITERARIA ALLERANA, que podrá disponer la publicación de los cuentos ganadores cuando lo considere oportuno.

9ª.- Por el solo hecho de presentarse, los concursantes quedan obligados a aceptar las bases de esta convocatoria.

Quienes deseen un ejemplar de estas bases pueden dirigirse a la TERTULIA LITERARIA ALLERANA, en la dirección indicada en la base 4ª.


Aller, enero del año 2009"

Marcadores:

terça-feira, 17 de março de 2009

Classificadíssimos de Marco Llobus






Terça-feira, 17 de Março de 2009
Classificadíssimos de Marco Llobus





Marco Llobus cria sempre os classificadóssimos poemas com fotos ou webdesigner de sua lavra, aos quais, em banneres, chama "Des/Classificados.
Sua forma de ser sui-generis, singular, autêntico.
Acima, dois de sues banneres nessa série.

Para minha mostra Graal Feminino Plural(*)ele digitalizou meus desenhos e fez meus banneres .Todos que viram , aprovaram.
A pessoa mais contente, fui eu.

Clevane Pessoa de Araújo Lopes



Para minha mostra Graal Feminino Plural(*)ele digitalizou meus desenhos e fez meus banneres .Todos que viram , aprovaram.
A pessoa mais contente, fui eu.

Sua POIESIS tem um pé na fala cotidiana das pessoas mineiras de interio-mesmo sendo ele citadino, morador da capital mineira e outro, na sofistificação de uma linguagem em meandros
de pesquisas, que ele decodifica e simplifica.

Uma de suas características mais marcante, que os chegados adoram , é ser um repentista, senão de cordel, mas de um fluir de versos livres e espantosos, que nos tocam as mãos do espírito, viscerais ebelos.
De quando em vez, estamos conversando pelo talk do gmail-trabalhamos juntos no projeto POIETISA (*), aprovado pela Lei Municipal de Incentivo à cultura (Belo Horizonte-MG) e brotam-lhe versos, os qyais se tornarão poemas escritos.Estamos esperando o primeiro livro do poeta
que já escreve um segundo.

Clevane Pessoa de Araújo Lopes

(*) Graal Feminino Plural-Desde 07/03/2009 até 02/04/2009

Galeria da Árvore
(Museu Nacional da Poesia-MUNAP)

-Parque Municipal Américo Renê Gianetti
Belo Horizonte-MG-Brasil
Curadoria:Regina Mello

Marcadores:

4a Mostra FELCO BH 2009 já está no ar




Recebo e transcrevo:

"Não Perca! A programação da 4a Mostra FELCO BH 2009 já está no ar!

www.redefelcominas.ning.com




Mostras Itinerantes



v Casa do Movimento Popular – Contagem

Av. David Sarnoff, 117 - Bairro Jardim Eldorado.

Contato: Cineclube Na tela – (31) 8797 1853

Data: 27 e 28 de março – Exibição da Mostra Video-ativismo e Realizadores Contemporâneos.



Programação:

TV Digital (22’ Brasil) Dir. AIC / Malabares (10’) Dir. Maithê Lorena e Secy Jannuzzi / Meu Brasil (70’ Brasil) Dir. Daniela Broitmam



Realização

Cineclube Movimenta.art

Rede Felco Minas

Cineclube Natela

1.

Decupar

Contatos:

Aline Souza

(31) 8617-7972



souzaline@gmail.com

cineclubemovimenta@gmail.com



Neimar Alves Barroso

3475-3726

neimarab@gmail.com


Nelsinho Pombo (Mostra Contagem)

8797-1853

sinhonel@hotmail.com

Marcadores:

Dia do Nada-Novas Ações-Quatro de maio

No ano passado, saber das comemorações do Dia do Nada, quando repassei essa ação no Rio, gerou muitos poemas e temas.
Agora, Rubens Pilleggi já faz a chamada para maio.
Por que não fazer nas próprias cidades e grupos também?
E podem enviar-me os resultados 9fotos, descritivas, etc), que postarei.
Leiam o Rubens:

"Sócios, parceiros, cúmplices, admiradores...


Está no ar a campanha pelo Dia do Nada 2009, que acontecerá, infalivelmente (nem sempre, às vezes há vários DDN fora do DDN), na primeira segunda de maio, ou seja, dia 04, neste ano.
Quem tiver interessado em aderir e tiver a fim de fazer uma performance, intervenção, pintura, trabalho para a rede, texto, cinema, teatro, prosear, o que for, entre em contato comigo, ok?
Se quiserem ver as postagens do DDN, o endereço é http:nothingday.blogspot.com
Um mote legal para esse ano é a tal da crise, repercutindo no trabalho e no emprego, justo no ano do boi - conhecido trabalhador - no horóscopo chinês. Mas cada um pode - e deve - fazer seu NADA do jeito que quiser, como quiser, até fazer NADA que, aliás, é o que move nosso evento.
Muitos abraços
--
rubens pileggi sá"

http://bocarra.blogspot.com
http://poesiatododia.zip.net
http://nothingday.blogspot.com
http://www.canalcontemporaneo.art.br/arteemcirculacao/
(21) 8171-8059

Marcadores:

sábado, 14 de março de 2009

Actitud frente a la poesia contemporanea, Mónica Maud de Sánchez*

actitud frente a la poesia contemporanea, Mónica Maud de Sánchez*

Por profesora Mónica Maud de Sánchez*



El 14 de diciembre se festejó el Día Mundial de la Poesía y casi todos los grupos literarios, como instituciones gubernamentales, más que otros años, se han movilizado en actos y celebraciones. Se presentaron libros, se hicieron reportajes, se recitó largamente, se entregaron distinciones; la pregunta es: ¿hoy, la poesía aúna o divide? ¿Obedece a una actitud muy personal de todos y cada uno?.
El 14 de diciembre se festejó el Día Mundial de la Poesía y casi todos los grupos literarios, como instituciones gubernamentales, más que otros años, se han movilizado en actos y celebraciones. Se presentaron libros, se hicieron reportajes, se recitó largamente, se entregaron distinciones; la pregunta es: ¿hoy, la poesía aúna o divide? ¿Obedece a una actitud muy personal de todos y cada uno?.

La poesía es esencialmente una libre condición del espíritu, y, como tal, busca un fin allende a todo fin. La poesía no es conocimiento intelectual, sino imaginario. De ahí, la diversidad de posturas que se exhiben frente a un poema.

El poeta es un ser solitario, que ha logrado edificar un universo en derredor de su palabra, no para narrar lo que ve, lo que vive, lo que observa, haciendo versos que sólo rimen entre sí, o siguiendo una normativa estilística sobre cómo escribir una poesía. El poeta ha insertado en ese mundo propio, lo propio, lo cual casi nunca coincide con el medio social al debe adecuarse para poder sobrevivir. Esto no quiere decir que un poeta no participe de la vida social de su ámbito, sino que lo hace desde un lugar diferente, mirando y descubriendo lo que el hombre común no logra mirar, ni develar. Como si poseyera, de hecho lo posee, un sentido más oculto, y al tiempo, a flor de piel.

Los ojos del poeta poseen un brillo y un color especial, extraño a muchos, inexplicable a otros, molesto a quienes no han comprendido que el poeta, simplemente, está presente en cada verso, sin estarlo, sí, pareciera una contradicción, una maravillosa, que no deja de formar parte del misterio de la poesía, del misterio que crea y que ha conquistado y lo seguirá haciendo, mientras la humanidad tenga un respiro, pues la poesía en sí misma, no ha de desaparecer con el hombre.

En poesía el sujeto pasa inapercibido gracias a la conjetura, a la imaginación, a la intuición más pura. Dicho de otra manera: la poesía es un canto en el cual la naturaleza del poeta es superior a la naturaleza de lo imaginado. Y por superior, amo y señor de la palabra. He aquí, el extraordinario poder del poeta para ahondar límites infranqueables por nadie más.

El poeta no se rinde ante el objeto real porque éste es reemplazado por el objeto creado por el espíritu. Es decir, el poeta no se complace sólo con aprehender los sentimientos e ideas de la experiencia, debe intervenir en ellos, cambiarles el cauce, transformarlos en elementos dignos de ser soñados, revestidos de metáforas, alucinaciones, acordes, ofuscaciones, dolores no humanos, todo ellos llevados a una dimensión desconocida, en ocasiones, hasta por el mismo hombre, inexploradas por el hombre mismo, pero develadas, mediante el enigma de la poesía.

Muchos incurren en el error de confundir la poesía de imaginación con la poesía estética o la poesía no representativa con la poesía representativa. Cuando pecan de estéticos o representativos, reducen al silencio el fluir de imágenes poéticas; mejor dicho, atan la poesía al objeto existente, cuando éste es creado por la inspiración imaginativa del poeta.

Qué es el poeta. Un vidente, un buscador del alma, a la que examina, palpa, acaricia, comprende. Para eso, no apela al razonamiento, sino a las imágenes, al deleite de las formas, del sonido, de los sentimientos, de las sensaciones. Hace de lo trascendental su objeto, lo crea para sí. En fin, no reconoce regla alguna, sino a la propia imaginación. Pero además, aquí lo más importante, rompe el orden gramatical del lenguaje con el sólo propósito de enaltecer la imaginación; llámese a eso, hipérbaton.

Por eso, dícese que el poeta es ‘amoral’, ‘malvado’, ‘criminal’; cargos a su andar por fuera de los caminos establecidos por esta desastrosa civilización moderna. Habría que profundizar sobre estos conceptos referidos al poeta; en otra ocasión.

En todos los tiempos, se señalan tendencias, se califican tendencias, se clasifica a la poesía, se la encuadra, se le pone marcos y límites; esta tarea no sucede sino a posteriori, después de que la escritura ha dejado sus huellas, y con únicos fines didácticos, como una necesidad de comprender algo más de aquellos poetas que nos han glorificado con versos escritos sin preguntas, sin orígenes, solamente porque debían de ser, tal como el destino, inevitable e inalienable. Sin embargo, la intelectualización del hombre de hoy, inserto en una vorágine que no le permite el deleite de la soledad del poeta, ha ido desmembrando la fogosidad esencial de la poesía, hasta el punto de que existen en el mundo más “versificadores” que “poetas”.

El versificador ha aprendido a dar rima a lo prosaico. Cuando se lo lee, es comprendido desde un lugar común, desde el mismo sitio donde habita el lector (por eso, la identificación). La producción del versificador puede ser explicada como si fuera, ni más ni menos, que una narración, un relato, porque tiene que ver con la cotidianeidad, pero presentada en forma de versos que armonizan. A versificar se aprende; en talleres, en escuelas, en universidades. A ser poeta no se aprende, simplemente se vive, se siente y no existe palabra alguna que sea estimable para ofrecer una explicación. Además, explicar una poesía, no tiene el menor sentido, a la poesía hay que abrigarla como un tesoro que alimenta el espíritu. Nada más.

De todos modos, no es posible mantenernos ajenos a ciertos cánones que rigen la poesía actual, por supuesto, desde un sencillo punto de vista de lector, jamás del poeta. Y ése es el motivo por el que la poesía es sometida a juicio, siempre en el banquillo del acusado. Sucede que habría que poder, y no callar, distinguir una poesía de una bonita, musical, pero simple versificación, la que siempre arrastrará una historia definida.

La poesía no ostenta temas fijados por el escritor, la sujeción de determinados conceptos temáticos forma parte del lector o de la tarea del crítico, cuyo objetivo es el de hacer más fácil el acceso al universo literario, sin que esto implique que el señor crítico sea siempre voz transmisora de verdades absolutas. En definitiva, el más implacable juez es el lector. Y como lector, digo: “es un arrebato contra la libertad del espíritu el tildar a la poesía de apegada o no a un terruño, es alarmante la actitud de no aceptar nuevos talentos, o de ignorarlos por el mero hecho de que no refieren a un lugar geográfico, como el pueblo natal, una región, etc.”

La poesía es lo único auténticamente universal; no posee cuna más que en el espíritu del poeta, ni tendrá raíces más que la mente, la imaginación, el padecimiento, y a manos del poeta, de quien no se puede juzgar más que lo que cede, su propio yo, desnudo frente a un mundo que alguna vez ha de comprender... El reconocimiento popular, los halagos de la prensa no dejan de pertenecer al mundo terrenal, del que el poeta en su creación ha escapado mucho antes. Son, no obstante, la única señal de que el poeta existe, de que está tallando senderos, de que también es un hombre de carne y hueso, que sonríe y disfruta de un buen lector. La línea es tan fina como un hilo de seda casi transparente, hay que admitir.

Por todo lo expuesto, quedarnos estancados en los poetas de antaño, en los maestros y no ostentar la apertura de mirar los talentos emergentes, no de universidades, sino de la vida misma, es condenar a la poesía actual, nuestra poesía contemporánea al cadalso antes de ser dirimida. Y al hombre, a su muerte como lector.

Los maestros que tenemos como referencias hoy de la historia de la poesía han padecido similar ignorancia en sus épocas de vida, la mayoría; no los dejemos de lado, ni a sus ejemplares obras, pero, demos un paso hacia delante y volquemos la mirada, también, a nuestro lado; a nuestro alrededor se cuecen maravillas que merecen ser gozadas, per se, sin comparaciones, sin tiempos, sin fronteras, sólo con plumas salidas de espíritus sensibles mancillados por el espejo de la ignorancia de los demás.



Mónica Maud de Sánchez. Profesora de Castellano, Lliteratura y Latín. Diciembre de 2005.



Nota: esta vez el término ´poema´ y ´poesía´ se encuentran empleados como sinónimos, pese a mis taxativas reservas.

Fonte:http://isla_negra.zoomblog.com/archivo/2005/12/19/

Apesar de ter sido o texto acima escrito em 2005, está perfeitamente contemporâneo.

Divulgação:
Clevane Pessoa de Araújo Lopes
Vice-Presidente do Instituto Imersão latina-IMEL
Dia da poesia, 14/03/2009

Marcadores: ,

sexta-feira, 13 de março de 2009

Lindolf bell-MORADA DA POESIA-sábado-14 de março de 2009









Fotos:Casa do poeta Lindolf bell

Lindolf, Elke e os três filhos

Bell em praça pública, declama

Praça de arte Contemporânea, ao lado da casa.


Lindolf/camisas
Timbó, a terra natal de Lindolf Bell, líder da Catequese Poética, conivda para um evento chamado "Morada da poesia"-no Centro de Memória .Um de meus poetas prediletos, escolhi-o para patrono de minha cadeira na AVBL(Academia Virtual Brasileira de Letras).
Quando participei das Terças Poéticas,no Palácio das Artes, em Belo Horizonte, onde moro, a convite de Wilmar Silva - um poeta vivo-eu, em geral homenageia um já falecido-escolhi o poeta catarinense.Mas senti que homenageava alguém tão vívido , que mais li seus os seus versos que os meus própios, mais falei (muito bem!)dele que de mim.E vesti em cena um "corpoema"(camiseta com poemas ), hoje muito comum, lançado por Bell nos Anos 60/70.
tanto a camiseta quanto os marcadores de livro, flipetas, cartões, foram enviados pelo Centro de Memória Lindolf Bell-a quem agradeço:contei sobretudo com a delicadeza e prestimosidade de Rosana Paterno, que chegou a ir a Blumenau,para colocar no Correio minha encomenda.

Uma das camisetas, doei para o artista plástico Wander Lara, seu amigo e de quem Bell comprava telas, para si mesmo e para a galeria Açu-Açu.No estúdio do artista, há muitas lembranças de Bell:selos com poesia, dedicatórias em programas, etc.E muitas interessantes histórias.

Enquanto eu dizia e comentava seus poemas,slides das fotos gentilmente enviadas pela Rosana paterno, CMLB, eram passados em um telão. Ao final da apresentação , a jornalista e poeta Brenda Mars, disse-me;"Você disse que ele era bonito e era mesmo"

Também troco alguns e-mails com um dos poetas contemporâneos de Lindolf Bell , da catequese Poética:Rubens Jardim.

Já falei por telefone ,com Rafaela Bell, sua filha e curadora, cuja mãe , Elke hering Bell, era a parceira do marido nos poemas-objetos, ou objetos-poemas.Ela, grande escultora, tem sala com seu nome no MAB e está na memória dos catarinenses.

Anunciei e acompanhei de longe a inauguração dos poemas a céu aberto, obras de aete, numa Praça de Timbó, uma cidade que sabe preservar a memória de seus filhos renomados.


Minha amiga Masé Soares, que faz PPS , fez um para ele, com seu poema "O Pássaro", onde sua foto, toda em azul -arte de meu filho Allez Pessoa-correu pela Internet.Depois, um poema de minha autoria para ele.Tenho vários, onde o chamo de "Bello", ou o pássaro almejado é ele mesmo.

No YouTube há homenagens a ele e seus livros são disputados."O Quixote Catarinense" é sua biografia autorizada

Por que tudo isso?Não sei, pois nem na adolescênciam, tive perfil de tiete.Mas a POESIS de Lindolf Bell exerce sobre mim uma grande fascinação.Sua filosofia de vida ("Maior que meu sonho, não posso ser!")era grnadiosa e sui generis.Um ecologista nato.Nascido alemão, com raízes russas,segundo li.Era alto e belo, mas fosse ele feio, seria da mesma forma apreciado.Wander Lara narra emocionado, o quanto sua formação de ator o fazia um grande intérprete de Poesia : abria a boca e os braços e todos eram tocados .

Lindolf Bell tirou a Poesia dos recintos fechados , dizia-a em praça pública, em viadutos, colocou poemas em garrafas e lançou-os ao rio,com seus seguidores, mudou a feição

.

"Ainda não fui até lá, mas irei"

Clevane Pessoa de Araújo Lopes

Poeta Honoris Causa pelo CBLP, para oito Países lusófonos
Acadêmica da Academia Feminina Municipalista de Letras -Cadeira Cecília Meireles

Acad.da AVBL-Cadeira Lindolf Bell.


Convite



A Prefeitura Municipal de Timbó, através da Fundação Cultural,

tem a satisfação de convidá-los a participar do evento

“Morada da Poesia”, que acontecerá neste sábado 14/03,

das 15:00 às 17:00 na Casa do Poeta Lindolf Bell - Grão Espaço Cultural,

no Bairro Quintino.


O evento marca a passagem do Dia Nacional da Poesia

e terá apresentações poéticas das oficinas de Leitura,

Escrita e Contação de Histórias da Fundação Cultural

e de escolas do Município de Timbó.





“Contamos com sua presença!”



“Aonde quer que eu vá,

eu descubro que um poeta esteve lá antes de mim.”

S. Freud



--
São livros de Lindolf Bell:



OBRAS
1962 Os Póstumos e as Profecias. 1ª Edição. São Paulo: Massao Ohno, 1962.
1964 Os Ciclos. 1ª Edição. São Paulo: Massao Ohno, 1964
1965 Convocação. São Paulo: Brasil, 1965.
1966 Curta Primavera. São Paulo: Brusco, 1966.
1966A Tarefa. São Paulo: Papyrus, 1966.
1967 Antologia Poética de Lindolf Bell. São Paulo: União, 1967.
1968 Antologia da Catequese Poética. BELL, Lindolf. MATTOS, Luiz Carlos. JARDIM, Rubens. MÜLLER, Érico Max. SANTANA, Edson R. AGUIAR, Iosito e CARDOSO, Reni. Antologia da Catequese Poética. T. Paulista. São Paulo, 1968.
1971/1979 As Annamárias. 1ª Edição. São Paulo: Massao Ohno, 1971. (qualificada por Drummond como a mais importante obra lírico-amorosa em língua portuguesa dos últimos anos).
1974 Incorporação. 1ª Edição. São Paulo: Quiron, 1974.
1980 As Vivências Elementares. 1ª Edição. São Paulo: Massao Ohno/Roswitha Kempf, 1980.
1984 O Código das Águas. 1ª Edição. São Paulo: Global, 1984. (melhor livro de poesia do ano - Associação Paulista dos Críticos de Artes).
1985 Setenário. Florianópolis: Sanfona, 1985.
1987 Texto e Imagem. Oficinas de Arte. Florianópolis, 1987.
1994 Pré-textos para um fio de esperança. BADESC. Florianópolis, 1994.
1993 Iconographia. Editora Paralelo: 1993.
1994 Requiem. Oficinas de Arte. Florianópolis, 1994.

OBRAS TRADUZIDAS
Italiano: In Poesia de Brasile d’Oggi (trav. Salvatore d’Anna) editrice i.l.a. Palma, 1968.
Belga: In Revista “Nieeuw Vlamams Tijdschrift” (trad. Freddy de Vree), Antuérpia, 1969.
Inglês: In Revista “Licor Store”, Iowa USA, 1969 in Brazilian Poets XX Century (trad. Elizabeth Bishop); e in Antologia da Poesia Contemporânea Brasileira (trad. José Neinstein), 1973.
Espanhol: In Tiempo de Poesia Brasileña (trad. Adovaldo Fernandes Sampaio) Buenos Aires, Ediciones de la Flor, 1974.
Angola (África): poemas editados na revista

------------------------------------------------------------------

Divulgação :
Clevane Pessoa de Araújo Lopes

Diretora Regional do inBrasCi, em belo Horizonte, MG

Marcadores:

Sexta feira Treze-Negro gato


Imagem:Le Chat Noir



Roberto Carlos - Negro Gato
Getúlio Cortes



Miauuuuuu!

Eu sou o negro gato de arrepiar
E essa minha vida é mesmo de amargar
Só mesmo de um telhado aos outros desacato
Eu sou o negro gato, eu sou o negro gato

Minha triste história vou lhes contar
E depois de ouvi-la sei que vão chorar
Há tempos eu não sei o que é um bom prato
Eu sou o negro gato, eu sou o negro gato

Sete vidas tenho para viver
Sete chances tenho para vencer
Mas se não comer acabo num buraco
Eu sou o negro gato, eu sou o negro gato

Um dia lá no morro, pobre de mim
Queriam minha pele para tamborim
Apavorado, desapareci no mato
Eu sou o negro gato, eu sou o negro gato

Miauuuuuu! Miauuuuuu! Miauuuuuu!

Sete vidas tenho para viver
Sete chances tenho para vencer
Mas se não comer acabo num buraco
Eu sou o negro gato, eu sou o negro gato

Um dia lá no morro, pobre de mim
Queriam minha pele para tamborim
Apavorado, desapareci no mato
Eu sou o negro gato, eu sou o negro gato

Miau! Eu sou o negro gato
Eu sou o negro gato, eu sou o negro gato

Marcadores:

Sexta feira Treze-Treze Poetas-Treze Poemas-Antologia Santo Largo Treze

Sarau
Santo Largo Treze!

com os Poetas:

Ad Rocha, Carlos Galdino, Cláudio Laureatti,
Domênico Almeida, Erika Pires, Indiara Nicoletti,
Ivan Antunes, João Rosalvo, Laura Guimarães, Paulo de Almeida,
Renato Palmares, Rui Mascarenhas, Serginho Poeta, Sissy Eiko,
Jozz Zugliani, Ana Caroline Araújo, André Luis Marcelo

+ Vc. Participe!

Dia 13 de março de 2009,
sexta-feira, às 19:00 hs.
Casa das Rosas
Av. Paulista, nº 37 - São Paulo - SP
(próximo à Estação Brigadeiro do Metrô)
(11) 3285.6986 e (11) 3288.9447


"Enfim, treze temas, treze poetas, uma fotógrafa e um ilustrador, todos para compor um livro de poesias (a Antologia Santo Largo Treze), pronto para promover diálogos e abrir caminhos de produção literária no Brasil, aptos para valorizar os discursos em Língua Portuguesa."

Por Antônio Vicente Seraphim Pietroforte

informações:
http://www.trezevisoes.blogspot.com/

Saúde e Paz!!
Rui Mascarenhas (11) 9225.2580
http://meiohomem.blogspot.com
orkut: MEIOHOMEM

Divulgação:InBrasCi-Diret.Reg,em Bh-MG

Marcadores:

Luiz Alberto Machado convida



Fto :LAM ao violão-e ele tem um extenso programa nas escolas, como contador de histórias, entre outras ações.O blogger, muito lido, também mantém vários blogs e sites.

O caro amigo ,poeta, cantador, compositor e cordelista Luiz Alberto Machado- o "Lualma"- faz seus convites:


Gentamiga,

"Todo dia é dia de poesia!!! E só ela tornará a vida suportável!!!

Enquanto isso, convido você para as novidades da minha home page abaixo:



DESTAQUES:

Veja nas Entrevistas a cantora e compositora paraense Ângela Carlos, a empresária Janaina Ferreira da Silva, a guerreira Sandra da Silva e o garoto Rafinha.



E mais novidades no BLOG NEWS:

Goethe, Vicenzo Bellini, Tetê Espíndola & Alzira E, Poesia no pôr do sol, Arriete Vilela, Nara Leão & Cassio Cavalcanti, Liria Porto, Mariane Bigio, Cris Aflalo, Cartas Brasileiras, Literatura, Cultura & Sociedade, Nadja Soares, Flora Matos, Karyme Hass, Fabiana Guedes, Salete Carvalho & Escola Cecilia Meirelles, Bull & Bill, Mostra Sesi Infantil, Seguridade Social, Música para Crianças & a Musa Tataritaritatá da Semana: Jaqueline.

Também a jornalista e artista plástica Katia Velo me entrevistando, tá?

Tudo isso e muito mais acessando:

www.luizalbertomachado.com.br
(Quando acessar ligue o som & vamos curtir minhas canções, frevos & parcerias musicais na Rádio Tataritaritatá)

LEMBRETES:

CIDADANIA & FREVO NAS ESCOLAS - Recreações educativas & palestras.

PREMIO BRINCARTE: a garotada partipa e ganha prêmios e brindes! Incentive a criançada da sua casa.

FAÇA SEU TCC SEM TRAUMAS: Curso & orientações. Informações aqui!



Mais uma ainda: como você está sabendo, estou no Caldeirão do Huck - Olha a minha banda - e, evidentemente, que estou contando com o seu voto e sua torcida. Para tanto é só você acessar: http://www.8p.com.br/olhaminhabandadempb/luizalbertomachado/perfil e tascar seu voto lá pra mim, tá?



Beijabrações, Viva a Mulher & tataritaritatá!!!

www.luizalbertomachado.com.br

(Não se esqueça de ligar o som e curtir comigo a Rádio Tataritaritatá, viu? Vamonessa!!!)

Aquele papo: se este mail estiver incomodando é só devolvê-lo com assunto REMOVER que não perturbarei mais, tá? Beijabrações".

Marcadores:

quinta-feira, 12 de março de 2009

Memorial de Belo Horizonte por Angela Togeiro







Ângela Togeiro, Poeta admirada, premiada e prolífera, comemora seu quadradégimo ano na capital Mineira, inaugurando um blog novo.

Nas fotos, Angela está ao lado de Andréia Donadon , Governadora Geral do inBrasCi, quando esta veio de Mariana, sede da Governadoria,para outorgar-lhe,por minha indicação, a medalha de ouro do inBrasCi e o título de Membro Honorário.Também recebeu o certificado de Honra ao Mérito da Aldrava Letras e Artes e de Amiga da Paz, da Arte, da Poesia e da Vida (título assinado por mim-Clevane Pessoa, Embaixadora Universal da Paz, por Claudio Márcio Barbosa- pela ONG Alô Vida-por Ricardo Evangelista-pelo CCLagoa do Nado e por Marco llobus, pela Rede catitu de Cultura).

Na foto seguinte,em 28/03, anota os livros doados, para a ação PAZ e Poesia (março/2008), quando fez parte da comissão de organização.

Atualmente, ela e Andreia Donadon, por indicação minha, justificada pelo exemplo de vida de ambas,são Embaixadoras Universais da Paz.

Visite-o, depois de ler o convite dela:

"Olá,
Em comemoração aos 40 anos que vivo em Belo Horizonte/MG-Brasil estou com um novo Blog


Memorial de Belo Horizonte por Angela Togeiro.
endereço


http://atogeirovivoembelohorizonte-mg-br.blogspot.com/

Agradeço sua visita e divulgação.

Saúde e Paz

Angela Togeiro

Marcadores:

quarta-feira, 11 de março de 2009

Iriene:DELIRIO


Delírio - Por Iriene Borges
06/03/09 04:02 Dentro de: Poesias

No pensamento a tua ausência é leve.
A tua ausência é lisa, tua ausência é rasa,
e desmancha-se no meu corpo em brasa
como inúmeros brancos flocos de neve.

Nos meus sentidos dados à minúcia
a tua ausência tem um peso de aura,
um porte de musa, uma doçura rara,
silêncio de prece, delirante fragrância.
E ela é tão suave, mesmo sendo constante
que às vezes em devaneio me surpreendo
dando atenção à idéia errante.

de que existe um elo permanente.
E nem por força da vontade me desprendo
da sensação de que estás presente.

Marcadores:

Primeiro concurso de contos do literaturaemfoco

Primeiro concurso de contos do literaturaemfoco


"INFORMAÇÕES GERAIS:

O literaturaemfoco anuncia aos seus leitores a realização de seu primeiro concursos de contos.

A ideia desse projeto é a de divulgar novos escritores e distribuir prêmios para os autores que escreverem os melhores contos. Nossa meta é realizar o concurso uma vez por mês, para no final do ano, criarmos uma antologia dos melhores escritos nesse decorrer de 2009.

Por que participar?

Muitos escrevem por hobbie, publicam seus contos em blogs e em sites destinados a escritores. Todavia, poucos desses veículos oferecem algum tipo de recompensa que estimule o autor a escrever e consequentemente melhorar sua escrita.

Eu pagarei quanto por isso?

Você NÃO pagará NADA!

Ok, quais são os prêmios?

Serão livros. Nesse primeiro concurso os autores dos três melhores contos ganharão:

1° lugar:

- Memória da casa dos mortos. Fiódor DostoiévskI. Editora L&PM. (Em formato pocket)
- Beijo no asfalto + Bonitinha mais ordinária ou Otto Lara Rezende. Nelson Rodrigues. Editora Nova Fronteira.

2° lugar:

- Limite Branco. Caio Fernando de Abreu. Editora Agir.

3° lugar:

- Alfred Musset. As confissões de um filho do século. Editora Escala.

Poderei publicar meus contos enviados para o literaturaemfoco no meu blog e em outros sites?

SIM! Você é o autor, seu trabalho lhe pertence. Sendo assim, sinta-se livre para publicá-lo em qualquer outro local.


Como serão enviados os prêmios?

Pelo o correio, na modalidade de envio normal. A despesa do frete ficará por conta do literaturaemfoco.

Quem avaliará os contos?

Estudantes de Letras.

Para onde os contos deverão ser enviados?

Para o endereço: concursodecontos@mandic.com.br

Você ainda está com duvidas em relação ao concurso?

Contacte-nos pelo e-mail: concursodecontos@mandic.com.br


Regras

I. Tema: O tema desse mês será: MORTE.

II. Fonte: Os contos deverão ser redigidos em fonte Times New Roman, tamanho 12.

III. Tamanho: Os textos não poderão ultrapassar duas páginas do formato Word ou Open Office.

IV. Tipos de arquivo: .doc (Word), .odt (Open Office), .pdf (Adobe), .txt

V. Os trabalhos deverão ser enviados para o e-mail:

Anexe ao texto em qualquer tipo de arquivo especificado no ITEM IV, e envie para o endereço: concursodecontos@mandic.com.br

Caso você utilize pseudônimo, por favor, especifique-o no corpo da mensagem."


Fonte:http://www.literaturaemfoco.com/page1/page1.html

terça-feira, 10 de março de 2009

CONCURSO LITERÁRIO UMA VIAGEM PRA PASÁRGADA

CONCURSO LITERÁRIO UMA VIAGEM PRA PASÁRGADA

RICARDO EVANGELISTA, poeta e sociólogo, coordenador dos Saraus de Poesia da Lagoa do Nado,em Belo Horizonte, envia-nos:
para mim






CLÊ.
JÁ ENVIEI O MEU. MANDE TAMBÉM. ABRAÇO. REVA. 10/03/09
Concurso Literário Uma Viagem pra Pasárgada

Seg, 12 de Janeiro de 2009 13:18 Moderadores E-mail Imprimir PDF

A sétima edição da Festa Literária Internacional de Paraty (Flip), que vai acontecer em julho, irá homenagear um dos mais importantes nomes do Modernismo brasileiro, o escritor pernambucano Manuel Bandeira (1886-1968).

Juntando-se a esta merecida homenagem, a Litteris Editora está promovendo, com exclusividade, o concurso literário "Uma viagem pra Pasárgada".

::.. Objetivo do Concurso: convidar escritores amadores e profissionais a responderem, através de um poema, à pergunta: "Se você fosse para Pasárgada, como seria a sua passagem por lá?"

::.. O Que era Pasárgada?: era o nome de uma cidadezinha fundada por Ciro, o Antigo, nas montanhas do sul da Pérsia. Manuel Bandeira conheceu a região literariamente aos 15 anos, quando traduzia, em sala de aula, a Ciropedia. Imediatamente, ficou encantado com a história do lugar e a sua imaginação de adolescente começou a trabalhar, fazendo nascer, em 1946 o poema "Vou-me embora pra Pasárgada".

::.. O que Manoel Bandeira fez em Pasárgada: Poema "Vou-me embora pra Pasárgada"

Vou-me embora pra Pasárgada
Lá sou am igo do rei
Lá tenho a mulher que eu quero
Na cama que escolherei
Vou-me embora pra Pasárgada

Vou-me embora pra Pasárgada
Aqui não sou feliz
Lá a existência é uma aventura
De tal modo inconseqüente
Que Joana a Louca de Espanha
Rainha e falsa demente
Vem a ser contraparente
Da nora que nunca tive

E como farei ginástica
Andarei de bicicleta
Montarei um burro brabo
Subirei no pau-de-sebo
Tomarei banhos de mar!
E quando estiver cansado
Deito na beira do rio
Mando chamar a mãe-d'água
Pra me contar as histórias
Que no tempo de seu menino
Rosa vinha me contar
Vou-me embora pra Pasárgada

Em Pasárgada tem tudo
É outra civilização
Tem um processo seguro
De impedir a concepção
Tem telefone automático
Tem alcalóide à vontade
Tem prostitutas bonitas
Para a gente namo rar

E quando eu estiver mais triste
Mas triste de não ter jeito
Quando de noite me der
Vontade de me matar
- Lá sou amigo do rei -
Terei a mulher que eu quero
Na cama que escolherei
Vou-me embora pra Pasárgada

::.. Participantes: Podem participar autores, editados ou não, com obras inéditas.

::.. Quantidade de Obras: Cada participante poderá concorrer com até 02 (dois) poemas, escritos em língua portuguesa, com um máximo até 45 linhas cada um. O poema obrigatoriamente deve responder a pergunta: "Se você fosse para Pasárgada, como seria a sua passagem por lá?"

::.. Envio das Obras: As obras deverão ser enviadas digitadas, até o dia 15 de março de 2009, em papel ofício, em espaço 2, em laudas de 30 linhas, por uma das três formas:

* pelo formulário eletrônico;
* pelo e-mail (caso você não consiga enviar pelo formulário ao lado) concursos@litteris.com.br Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo.
* para a sede da Editora, na Av. Presidente Vargas, 962/1411 - Centro - 20071-002- Rio de Janeiro - RJ (válido carimbo postal)
* para a Caixa Postal 150 - 20001-970 - Rio de Janeiro - RJ (válido carimbo postal). Ao enviar suas obras por correio, envie junto o seu nome completo, pseudônimo, endereço de correspondência e telefone de contato.

::.Premiações:

1º Lugar - A edição da obra premiada no livro "Uma Viagem pra Pasárgada", 20 exemplares, um exemplar do livro "Bandeira de Bolso: Uma Antologia Poética", organizada por Marta Jardim, medalha e certificado.
2º Lugar - A edição da obra premiada no livro "Uma Viagem pra Pasárgada", 15 exemplares, um exemplar do livro "Bandeira de Bolso: Uma Antologia Poética", organizada por Marta Jardim, medalha e certificado.
3º Lugar - A edição da obra premiada no livro "Uma Viagem pra Pasárgada", 10 exemplares, um exemplar do livro "Bandeira de Bolso: Uma Antologia Poética", organizada por Marta Jardim, medalha e certificado.
Edição de Participação - Os autores classificados com Edição de Participação poderão optar pela aquisição de exemplares através do sistema de cooperativismo, tendo suas obras editadas no livro "Uma Viagem pra Pasárgada", além de um certificado.

::.. Lançamento: A antologia "Uma Viagem pra Pasárgada" será lançada durante a Bienal Internacional do Livro do Rio de Janeiro, em setembro de 2009.

::.. Comissão julgadora: A comissão que irá analisar e julgar as obras concorrentes será composta por profissionais da área literária, sendo a decisão final soberana e irrecorrível. A escolha das obras será baseada nos seguintes critérios: criatividade, clareza na apresentação das idéias e correção ortográfica e gramatical. Serão desclassificadas as obras que tiverem conteúdo imoral ou ilícito, que não forem enviadas pelos meios indicados neste regulamento ou aquelas cuja autenticidade não puder ser comprovada.

::.. Resultado final: O resultado será divulgado através de carta enviada a todos os participantes independente da classificação até 15 de abril de 2009.

::.. Compromisso: Os vencedores, desde já, declaram ser de sua autoria as obras concorrentes e classificadas, não constituindo plágio de nenhuma espécie, podendo responder juridicamente por este ato se tal concordância for falsa.

::.. Informações: A Editora não se responsabiliza por obras concorrentes que sofrerem extravio quando do envio para o concurso. O autor concorrente declara tacitamente, que está de acordo com todos os termos deste regulamento. Toda e qualquer situação não prevista neste regulamento, bem como eventuais casos omissos, serão decididos, exclusivamente pela Editora.

Editora Litteris

Marcadores:

segunda-feira, 9 de março de 2009

Resultado do VI Concurso Movimento vir_ARTE




A cara Presidente do Movimento vir-Arte, nos envia o resultado do mais recente concurso , com um convite para a edição cooperativa -que sempre é primorosa.
Os poemas foram julgados por uma bela tríade do RS:
Chico Sosa de Santa Maria,Ilda Maria Costa Brasil, de Porto Alegre;Maria Regina Caetano , Santa Maria

Parabenizo a todos e é bom estar nessa boa companhia.

Clevane Pessoa de Araújo
Diretora Regional do InBRasCi em Belo Horizonte, MG

Movimento virArte

Fundação: 21/10/2003 e 29/06/2006

Reg. 1088 de 27/10/2003

CNPJ 05.988.883/0001-03


Santa Maria, 09 de março de 2009


“As palavras são pequenas casas com porão e sótão. Descer ao porão é sonhar,

é perder-se nos distantes corredores... é procurar nas palavras tesouros inatingíveis.

Subir e descer, nas próprias palavras, é a vida do poeta.”

Bachelard

Amigo poeta,


Trabalhar com poesia é ingressar no reino da gratuidade, é deixar o tempo fluir, sem que nos devore, trabalhar com o ser poético e ser elo para que a sua poesia possa alcançar o outro e poetizar o mundo é o motivo da nossa existência. Por isso, estamos imensamente felizes de divulgar o resultado do VI Concurso virArte e informar os dados da coletânea literária:

Capa: “Toccare”, Milene Tonelllottto – Santa Maria

Colorida, plastificada e com orelhas

Pág.:(previstas) 100

C/ ficha catalográfica/marcador e convite

Lançamento e premiação: 09/05/09, 18h na Feira do Livro de Santa Maria (a confirmar).

Vote no título da Coletânea: 1. Murmúrios 2. Mistérios 3. Eros


Após a sessão de autógrafos, os poetas farão uma Noite de confraternização.

* Serão feitos também lançamentos em São Luiz Gonzaga (junho) e Porto Alegre (novembro).


O VI Concurso Literário virArte foi um sucesso graças à participação de todos, foram 165 poemas concorrentes, 60 autores, os quais, por sua qualidade artística, deram muito trabalho à Comissão Julgadora, a qual agradecemos o empenho e a dedicação:

Chico Sosa – de Santa Maria

Ilda Maria Costa Brasil – de Porto Alegre

Maria Regina Caetano – de Santa Maria

É hora de darmos os parabéns aos vencedores! Para nós da equipe virArte, que preparamos este concurso, será uma grande alegria termos o seu trabalho publicado na coletânea.

Participe da edição cooperativada:


Sócio Não-sócio Custo-envio

1 pág./5 livros 55,00 65,00 10,00

2 pág./10 livros 110,00 120,00 15,00

3 pág./15 livros. 165,00 180,00 20,00

Estudante até E. Médio 35,00 (recebe 3 livros)


Para associar-se: Jóia 10,00 e anuidade 24,00. Recebe carteira.

Pagamentos: B.Brasil Ag. O126-0 Conta-poupança 40.565-5 Variação 01 (até 20/03 –enviar comprovante digitalizado). Contato: edinaraleao@yahoo.com.br/ (55) 3217 9488 ou 9942 3598. Part. com mais de uma pág. poderão pagar em mais vezes, se necessário, com cheque.


Aguardamos sua confirmação até 30/03 para dar tempo suficiente à confecção do livro. Premiados e/ou classificados que não puderem estar presentes, deverão arcar com as despesas de envio do troféu, quem ainda não referiu quem o convidou, gentileza fazê-lo, precisamos desse dado para controle interno. Fazemos questão de sua presença no lançamento, vamos brindar juntos nossos poetares! Aguardamos confirmação.

Um abraço:


Edinara Leão

Coordenadora do VI Concurso

RESULTADO V CONCURSO

LITERÁRIO VIRaRTE


Premiados

1º lugar – Cosme Custódio da Silva – Salvador (BA)

Poetamante

2º lugar – Haydée Hostin Lima – Santa Maria (RS)

Tempo

3º lugar – Luiz Gondim – Rio de Janeiro (RJ)

Heranças

Troféu Talento Jovem - Geovani Rios – São Luiz

Gonzaga (RS) A superfície do mal

Troféu Primeiras Letras - Virgínia Tarouco –

Santana do Livramento (RS) Minhas sete maravilhas Troféu Escrevinhador – Wilson Guanais –

São Paulo(SP) Instantâneo


Menções honrosas


4º lugar – Cosme Custódio da Silva – Miragens

Reginaldo Albuquerque – Pião

5º lugar – Cosme Custódio da Silva – Fino tecer

Miguel Russowsky – Laços desfeitos

Olga Amorin – Meu rosto de menina

Wilson Guanais – Apontamento, Limitação

6º lugar– Onilse Pozzobon – Magia

Amne Pergola – Escute o vazio

Olga Amorin – A Santa, Viver

7º lugar– Bernardo A. Dantas – O barqueiro

Luiz Gondim – Oscilações

Maria Romana – Apenas... fantasia

Ney Eichler Cardoso – Sonho

8º lugar– Alda Paulina – Ausências

Geovani Rios – A ilusão do nada

Matheus Paz – Bosquejo

Pryscila Finger do Prado – O poema

Selma Marfil – Pássaro peregrino

9º lugar– Reginaldo Albuquerque – Convite de noivado

10º lugar– Clevane Pessoa – haicais de gatinhos desiguais

Josafá Sobreira – Maldito roteiro

Pryscila Finger do Prado – O míope

Raimundo Nonato – Conflito I

Sônia Sobreira – Pedaços de mim

Classificados


11º lugar – Pryscila Finger do Prado – Conjugações

Sônia Sobreira – A semente

12º lugar– Fátima S. Rodrigues – Busca

Fernando Catelan – Celeste, Por amor se faz

Josafá Sobreira – Poeta oculto

Miguel Russowsky – Ser poeta

Ney Eichler Cardoso – Nada de novo

Reginaldo Albuquerque – Disse chamar-se Eva

13º lugar – Diamantino Ferri – Minha roça

Pam Orbacam – Apelo

14º lugar- Adriana Pavani – Alma de poeta

Diamantino Ferri – Busca insana

Fernando Catelan – Distância amara

Filemon Krause – Pharmácia Conceição

Fortunato Oliveira – Suave desengano

Geovani Rios – O imponderável, o futuro

Hazel de São Francisco – Ano Novo

Josafá Sobreira – Matutando

Luiz Gondim – Lágrimas, Resgate

Nere Beladona – Natureza agoniza

Pryscila Finger do Prado – Poema

Sarah Passarela – Abismo

Selma Marfil – Desencanto

15º lugar– Adriana Pavani – Poetar

Amne Pergola - Lirismo

Antônia Nery Vanti – Amor e confiança

Brunel da Cruz – Lenitivo I

Byrata – Poesia

Fátima S. Rodrigues – Espólio

Larí Franceschetto – des construção, Num lugar, agora

Luiz Gondim – S.O.S.

Miguel Russowsky – Natal

Nere Beladona – Anjos e cor

Pryscila Finger do Prado – Triolet, s/ título

Raimundo Nonato – Terna imagem

Sarah Passarela – Presságio

16º lugar – Alda Paulina – Para quem?

Amélia da Luz – Gestação

Amne Pergola – Bacanalidades

Bernardo A. Dantas – A vida começa todos

os dias, Mãos vazias

Brunel da Cruz – Pobreza humana

Fátima S. Rodrigues – Belas artes

Francisca Messa – Enigma

Ignez Izquierdo – Expondo

Mariza Alvares – Saber e sabor

Matheus Paz – Tempo de minhocas

Nere Beladona – Sombras

Neuza Zavaglia – Pátria, Um planeta...

Ney Eichler Cardoso – Fruta madura

Raimundo Nonato – Percurso

Sarah Passarela – Mulher

Sônia Sobreira – Tristeza

17º lugar – Adriana Pavani – Bendita seja a água

Amélia da Luz – Colheita

Angélica V. Santos – Amigo

Auriceu Karsten – A vida, o amor e você

Clevane Pessoa – Poeminha da amizade

Irenilda P. de Castro – Obra divina

Iva da Silva – O mundo de hoje

João M. dos Santos – Alusão a minha rua

João W Griebeler – Perigosa

Luiz Gondim – Emoções

Mariel da Silva Coelho – Vamos preservar

Matheus Paz – Meus versos de capitão

Rafaela Silveira de Castro – Um sonho

Raimundo Nonato – Incógnito

Selma Marfil – Quando te encontrei

18º lugar – Amélia da Luz – A terceira mão

Auriceu Karsten – Mãe

Bernardo A. Dantas – Se você me perder

Byrata – Stelamaris

Ignez Izquierdo – Viagem

Irenilda P. de Castro – Apenas um sonho

João M. dos Santos – Os galos

Larí Franceschetto – Tropológicos

Letiane Souza da Silva – Jurando a eternidade

Luana Vargas – Lua

Maria Romana – A mensagem dos poetas

19º lugar – Brunel da Cruz – As gêmeas

Eliana W. Alyanak – Querubim

Filemon Krause – Falta de classe, Ser maçom

José Vilmar de Medeiros – Retornar

Larissa Machado – Amor só meu

Maria Romana – Deus é amor

Wueslei Colares Costa – Natureza

20º lugar - Antônia N. Vanti – Respingos de sonhos

Auriceu Karsten – Porto do amor

Eliana W. Alyanak - Levo

Ignez Izquierdo – Dor

Irenilda P. de Castro – A cantar no coração

Luana Vargas – Levo

Maria Islair Lages – Mensagem da esperança

Maria Nedy Maciel – Retratos de uma vida

Raimundo Nonato – Ameaça, Alma de poeta

21º lugar – Auri Sudati – Lindo sol de primavera

Boni Ávila – Para Prado Veppo

Clevane Pessoa – Minha alma, amante amada

Luana Vargas – Sublime...

22º lugar – Luana Vargas – Cor padrão, A dor

Eliana W. Alyanak – Carrroça

Maria Islair Lages – Diante do espelho

Virginia Lima Tarouco – Voei, Papai

23º lugar - Antônia Nery Vanti - Incógnita

24º lugar - João M. dos Santos – O tempo

25º lugar - Diamantino Ferri – Esquecimento

Luana Vargas – Platônico

Marcadores:

sábado, 7 de março de 2009

Javert Denilson e seu Este Sol Rasgado-lançamento no Sementes de Poesia.




O MUNAP, através de sua Diretora Regina Mello, convida para o lançamento do livro de Javert Denilson, lindamente intitulado "Este Sol Rasgado", domingo, Dia Internacional da Mulher.

Trata-se de uma realização de A casinha Azul Produções, em parceria com o MUNAP.


O Sementes de Poesia acontece a cada segundo domingo do mês.Das dez ao Meio Dia, na Praça dos Fundadores,a mini arena à qual tantos poetas e e apaixonados por Poesia têm comparecido,que fica no parque Municipal Américo Renê Giannetti, na capital mineira.

A entrada pode ser pela Av. Afonso Pena-aliás um dos representados nesse espaço, uma das cabeças ali erguidas- ou pela Alameda Exequiel Dias.

o local é lindo, cheio de verdes, em fevereiro, micos estiveram nas árvores bem à vista dos participantes.E numa edição noturna, ao luar, os já famosos gatos do parque, que mereceram desenhos em exposição da artista e poeta visual Iara Abreu, sempre presente aos eventos

O apoio é da Sociedade Mutuante.Já fui convidada por Luciano Podrera ,Poeta, ator e divulgador cultural,para afiliação.

O blog da entidade:
http://sociedademutante.blogspot.com


Informações:251 57367 e 88387367(Regina Mello).

Neste domindo 08/03, data muito signisficativa-mesmo que se repita "Dia de Mulher ´todo dia"- na verdade, dia de todo mundo é dia, todo dia - sou a poeta homenageada e direi poemas inéditos, a convite da Diretora Regina Mello.

Clevane Pessoa de Araújo Lopes

Marcadores:

quarta-feira, 4 de março de 2009

ACADEMIA PARANAENSE DA POESIA





Imagens :foto minha, de um de meus vasos de violeta africana, para a cara Roza.

Imagem:mulher e flores-Internet,desconheço os créditos.

Recebo a interessante programação de março da Academia Paranaense de Letras.Logo início, lembro-me dos versos qye eno Teodoro Wanke mandou-me um dia e que publiquei na gazeta comercial de Juiz de Fora ("Eu venho das lições dos tempos idos/eu vejo a guerra, no horizonte armada"(...)Os poetas sabem das coisas:em todos os tempos, as Guerras afastam nossas lições de harmonia e fraternidade...

Deseno ótimos encontros para essa plêiade de autores ali reunidos, com meus cumprimentos para Roza de Oliveira.


A dar rosas uma oliveira,
-os perfumes, misturados-
e azeitonas, na roseira,
pelos troncos abraçados...

Clevane Pessoa



Clevane
ACADEMIA PARANAENSE DA POESIA

EVENTOS / MARÇO / 2009

OFICINA PERMANENTE DE POESIA NA BIBLIOTECA PÚBLICA DO PARANÁ; PARCERIA DESTA COM A ACADEMIA PARANAENSE DA POESIA - AULA DE 1 HORA SOBRE UM TEMA POÉTICO – 50 MINUTOS DE DECLAMAÇÃO EXERCITANDO A EXPRESSÃO ORAL - TODAS ÀS QUINTAS - FEIRAS DAS 18 ÀS 20 HORAS – 3º ANDAR - (Aulas gratuitas)

05/03 – A POESIA DE ENO TEODORO WANKE - Mamed Zauith

12/03 - TRIBUNA LIVRE – “DIA DA POESIA’ (14 DE MARÇO) ) NO HALL DE ENTRADA DA BIBLIOTECA PÚBLICA (Temas : Poesia, Castro Alves e temas livres)

19/03 - A POESIA DE CIRO SILVA - Vanda Fagundes Queiroz

26/03- A POESIA NO UNIVERSO DA CRIANÇA COM NEOPLASIA – Eliane Martins Quadrelli Justi

***************

14/03 – (2º Sábado) XXX TARDE DA SERESTA – A PARTIR DAS 17 HORAS NO RESTAURANTE SAN DOMINGOS (ANTIGA CONFEITARIA IGUAÇU) – RUA VOLUNTÁRIOS DA PÁTRIA 368 (1º ANDAR) – CAFÉ COLONIAL – R$ 9,00

POR PESSOA

***************

17/03- (TERCEIRA TERÇA – FEIRA) TARDE DE MÚSICA E POESIA – TEMAS DO MÊS DE MARÇO E TEMAS LIVRES.

O QUADRO “CINCO MINUTOS COM O MEU PATRONO SERÁ APRESENTADO PELA ACADÊMICA CHLORIS CASAGRANDE JUSTEN QUE FALARÁ SOBRE O SEU PATRONO JOSÉ CADILHE



LOCAL: CENTRO DE LETRAS DO PARANÁ DAS 17 ÀS 18:30 HORAS



********************

28/03– (ÚLTIMO SÁBADO) ALMOÇANDO COM MÚSICA E POESIA – 12:30 HORAS NO PONTO GIRA GRILL CHURRASCARIA. – BUFFET LIVRE – R$ 11,50 POR PESSOA – RUA ALFREDO BUFREN 219 – PRAÇA SANTOS ANDRADE EM FRENTE À UFPR – QUE ALÉM DE NÃO POSSUIR ESCADAS SITUA-SE ENTRE DOIS ESTACIONAMENTOS .

**********************



SUA PRESENÇA E SUA ALEGRIA FAZEM A FESTA DA POESIA

PELA DIRETORIA - ROZA DE OLIVEIRA - PRESIDENTE

Marcadores:

Escritas comemora a 7 de Março de 2009- 10 anos de existência






Imagens de estrelícias(estrelítzias) que vão de perente para o amigo Joaquim Evónio.



O amigo Joaquim Evónio avisa, de Portugal(Lisboa):

A Escritas comemora no dia 7 de Março de 2009 10 anos de existência.A Antologia de Escritas Nº6 que será lançada nesse dia.O encontro será na Rua Latino Coelho, nº 12 ( recreio dos Artistas (Orfeão Velho), cerca das 12.30 horas para a concentração antes do repasto que será num restaurante da zona

O escritor José Félix pede que se contacte p telemóvel do Sr.Constantino Alves, organizador da tertúlia.


***<>***

Nossos cumprimentos ao grupo que completa um decêncio, numa prova de resistência e sentimentos de confraternidade.Vida longa aos seus afiliados!

Clevane pessoa de araújo lopes

Belo Horioznte, Brasil

Diretora regional do Inst.de Culturas Internacionais-InBrasCI.

Marcadores:

terça-feira, 3 de março de 2009

Brasileira e Cubana debatem Cultura como Estratégia de Sobrevivência




Foto:"Jeu de paume(Paris, França-"um espaço de referência para a difusão da imagem"(lieu de référence pour la diffusion de la photographie et de l’image):fotografia,cinema vídeo, instalação.

Fonte--->http://www.jeudepaume.org/?page=liste&sousmenu=92
Edson Barrus(*), nos envia, através do Coro Coletivo:

le vendredi 06 mars 2009 à 19h00

Modèle à construire. Modelo para armar
"La culture comme stratégie de survie"

Ce séminaire, proposé par María Inés Rodriguez, commissaire de la programmation Satellite pour l’année 2008-2009, se conçoit comme un espace de réflexion critique autour de la culture contemporaine en Amérique latine, un continent en constante redéfinition.
La diversité des intervenants invités, issus de différentes disciplines, contribue à une approche dynamique d’une scène très vaste marquée par des défis économiques, politiques et sociaux.

Quatrième volet sur "La culture comme stratégie de survie", avec Tania Bruguera (Cuba), artiste, et Lisette Lagnado (Brésil), commissaire et critique d’art.


À l'auditorium Concorde, le vendredi 6 mars à 19 heures, entrée gratuite sur réservation (dans la limite des places disponibles).
Contact : 01 47 03 12 41 / serviceculturel@jeudepaume.org

<><>Traduzo:

Modelo Para Construir (modelo de armar)

A Cultura Como Estratégia de Sobrevivência.


Este seminário é proposto por María Inés Rodriguez, comissária da programação satélite para a Programação 2008/2009 (como divulgado, é o Ano da França no Brasil), constitui-se de um espaço de reflexão em torno da Cultura Contemporânea da América Latina-um Continente em constante redefinição.

A diversidade dos interventores convidados, provenientes de diversas disciplinas,contribue para uma aproximação de uma cena dinâmica muito ampla, marcada por definições de ordem econômica, política e social.

Apresentam-se a artista Tania Bruguera (Cuba),com o tema central, A Cultura Como Estratégia de sobrevivência ("La culture comme stratégie de survie"), e Lisette Lagnado (Brésil), comissária e crítica de arte.

No auditório Concorde, sexta-feira, 06/03/2009,com estrada gratuita(fazer reserva)dentro dos limites de lugares disponíveis.
Paris, França, no Jeu de Paume.

Contatos:
01 47 03 12 41
serviceculturel@jeudepaume.org

--------------------------------------------------

Fonte: http://www.jeudepaume.org/?page=liste&sousmenu=92

Edson Barrus (*),hace la divulgación de ese evento, a través del "Coro Coletivo": Viernes -en 6 de marzo de 2009 ( 19:00h))

Modelo para construirse. Modelo para armar

" La cultura como estrategia de survie"

Ese seminario, propuesto por María Inés Rodriguez, Comisaria de la programación Satélite para el año 2008-2009, se concibe como un espacio de reflexión crítica en torno a la cultura contemporánea en América Latina, un continente en constante redefinición.

La diversidad de los participantes invitados, resultantes de distintas disciplinas, contribuye a un enfoque dinámico de una escena muy extensa se caracterizada por retos económicos, políticos y sociales.

Mostran aspectos sobre " La cultura como estrategia de survie" , con Tania Bruguera (Cuba), artista, y Lisette Lagnado (Brasil), Comisaria y crítica de arte. A l' auditorio Concordia, el viernes 6 de marzo a las 19, entrada gratuita sobre reserva (dentro del límite de los lugares disponibles).

Contacto: 01 47 03 12 41/serviceculturel@jeudepaume.org

-------------------------------------------------

(*)De edson barrus, veja no You Tube:
http://www.youtube.com/user/edsonbarrus
http://web.mac.com/edsonbarros/projet_chien_mul%C3%A2tre_accueil/C%C3%A3o_Mulato_2.0.html
__._,_.___


"le Jeu de Paume
2 sites exceptionnels au coeur de Paris
Le Jeu de Paume est un lieu de référence pour la diffusion de la photographie et de l’image dans une approche résolument ouverte et transversale sur le plan chronologique – du XIXe siècle à nos jours – comme sur le plan des différentes pratiques de l’image actuelles (photographie, cinéma, vidéo, installation…). Sa renommée et son influence sont internationales.

Soutenue par le ministère de la Culture et de la Communication, l’institution a vocation à produire, coproduire ou accueillir des expositions, mais aussi des cycles de films, colloques, activités pédagogiques, ou encore des publications.

Le Jeu de Paume assure également la mise en valeur des fonds de grands noms de la photographie du XXe siècle conservés par l’État.

Le Jeu de Paume investit deux sites exceptionnels, au cœur de la capitale, place de la Concorde et dans le Marais, à l’Hôtel de Sully.

Artistes reconnus — Pierre et Gilles, Richard Avedon, Lee Miller, Robert Frank…— et talents à découvrir — Cyprien Gaillard, Denis Savary, Virginie Yassef…— s‘y côtoient et attirent un public large et diversifié* composé d‘amateurs, de collectionneurs, de professionnels, de jeunes publics, de familles, de touristes… sensible à la création artistique, notamment photographique.

Le Jeu de Paume fait appel à des partenaires privés pour développer ses activités et étendre son rayonnement tant en France qu’à l’étranger. Au-delà des aspects contractuels qui lient le Jeu de Paume à ses partenaires, l’institution s’attache à créer et développer des liens constructifs et pérennes avec chacun d‘eux, qu‘ils soient :

❙ partenaire institutionnel du Jeu de Paume pour l‘ensemble de ses activités pendant au minimum une année pleine,
❙ partenaire privilégié du Jeu de Paume en s‘associant pour une durée minimum de 3 ans à des expositions ou projets, ou
❙ partenaire ponctuels d‘exposition(s) ou de projet(s) programmés par le Jeu de Paume, à Concorde ou à l'Hôtel de Sully.


* En 2007, le Jeu de Paume, sur ses deux sites, a accueilli 235 000 visiteurs, un chiffre en augmentation même si les travaux d’embellissement du site Concorde ont nécessité sa fermeture durant 3 mois."

Fonte-->http://www.jeudepaume.org/?page=liste&sousmenu=92

Divulgação:
Clevane Pessoa de Araújo lopes

Diretora regional do inBRasCi em belo Horizonte,NG-Brasil

Embaixadora Universal da Paz-Orange/Fr-Genebra/Suiça

Vice presidente do IMEL-Instituto Imersão Latina.

Marcadores:

V CONCURSO DE POESIAS “LETRAS DO DIVINO




Imagem: FESTA DO DIVINO ESPÍRITO SANTO DE ITANHAÉM

Foto de Dimythryus


Visite:http://www.portaldodivino.bpgplus.com.br/Itanhaem_2005/itanhaem_arquivos/image002.jpg

Nosso jovem e talentoso amigo, Darlan Tupinambá Padilha (Dimythryus), apesar de premiadíssimo, "não esconde o leite":compartilha-o sempre, no Portal Blocos e ainda por mailing -é incansável divulgador de concursos literários.Repassamos o mais recentemente enviado:

V CONCURSO DE POESIAS

“LETRAS DO DIVINO”





REGULAMENTO



"1. O V Concurso de Poesias “LETRAS DO DIVINO” é uma iniciativa da Associação Pró-Festa do Divino Espírito Santo de Itanhaém - APRODIVINO, com apoio da Academia Itanhaense de Letras – AIL e da Biblioteca Municipal Paulo Bomfim, que tem como objetivo incentivar a produção literária sobre esse importante e tradicional acontecimento folclórico-religioso da cidade de Itanhaém-SP, que é a sua FESTA DO DIVINO ESPIRITO SANTO.



PARTICIPAÇÃO



2. Poderão participar do Concurso todos os interessados, moradores ou não da cidade de Itanhaém, com exceção dos membros da Academia Itanhaense de Letras e da Diretoria da Associação Pró-Festa do Divino Espírito Santo de Itanhaém.

3. O tema, desenvolvido em poesia, deverá estar ligado à FESTA DO DIVINO ESPÍRITO SANTO DE ITANHAÉM.

4. A participação será em uma só categoria e sem limites de idade.


INSCRIÇÕES



5. As inscrições são gratuitas e estarão abertas entre os dias 09 de março e 30 de abril,. Devem ser feitas na Biblioteca Municipal Paulo Bomfim (Rua Cunha Moreira, 71, Centro, Itanhaém – Cep 11740-000, Telefone 3426-1477) em horário comercial, pessoalmente ou por correspondência, nesse caso valendo a data de postagem.

6. O ato de participar, com o envio ou entrega de poesias, pressupõe ciência e concordância com este regulamento.

7. Cada participante poderá inscrever até três poesias, que deverão estar datilografadas ou digitadas, numa só face de um papel ofício, em três vias.

8. As obras deverão ser identificadas apenas com um pseudônimo. Elas deverão ser acondicionadas em um envelope grande, tendo dentro desse, outro envelope menor e lacrado, contendo dentro dele os dados do participante como: nome, endereço residencial, nome da escola (se estudante), profissão, pseudônimo adotado e o título das obras, bem como um número telefônico para contato. Por fora dos dois envelopes, deverá estar apenas o pseudônimo.



JULGAMENTO



9. A Comissão Julgadora será composta por membros da Academia Itanhaense de Letras, que terá toda liberdade para julgar e escolher os melhores trabalhos inscritos no Concurso.

10. As decisões da Comissão Julgadora serão soberanas e irrecorríveis.



PREMIAÇÃO



11. O resultado será divulgado, em cerimônia de premiação, no dia 29 de maio de 2008, às 20h30, na Igreja Matriz de Sant’Anna (Praça Narciso de Andrade – Itanhaém).

12. Serão premiados, com medalhas, os três primeiros colocados.

13. Todos os concorrentes inscritos, antecipadamente, autorizam a publicação de suas obras na forma de mensagens, folhetos, cartões, jornais, livros, camisetas, etc.

14. Os casos omissos serão definidos pelos organizadores.



ITANHAÉM, fevereiro de 2009.


Dimythryus, recentemente nomeado Embaixador Universal da Paz, pratica a consciência ecológica em todos os sentidos, por isso, seus e-mails nos chegam acrescidos destas palavras:



--
"Este e-mail é amigo do ambiente, pondere antes de o imprimir

Política de envio de e-mails:
Envio e-mails somente para pessoas que fazem parte de meus contatos. Caso você deseje cancelar o recebimento destes e-mails, envie-me outro e-mail: assunto “Exclua-me”."

D i m y t h r y u s
Embaixador Universal da Paz (Cercle de Les Ambassadeurs Univ.de La Paix-Genebra, Suiça)



Visite o site:

http://www.blocosonline.com.br/literatura/poesia_inicio.php

http://www.gargantadaserpente.com/toca/poetas/dimythryus.php

http://www.meiotom.art.br/darlanpo.htm



--
Este e-mail é amigo do ambiente, pondere antes de o imprimir

Política de envio de e-mails:
Envio e-mails somente para pessoas que fazem parte de meus contatos. Caso você deseje cancelar o recebimento destes e-mails, envie-me outro e-mail: assunto “Exclua-me”.

D i m y t h r y u s
Embaixador Universal da Paz (Cercle de Les Ambassadeurs Univ.de La Paix-Genebra, Suiça)


Visite o site:

http://www.blocosonline.com.br/literatura/poesia_inicio.php

http://www.gargantadaserpente.com/toca/poetas/dimythryus.php

http://www.meiotom.art.br/darlanpo.htm



--
Este e-mail é amigo do ambiente, pondere antes de o imprimir

Política de envio de e-mails:
Envio e-mails somente para pessoas que fazem parte de meus contatos. Caso você deseje cancelar o recebimento destes e-mails, envie-me outro e-mail: assunto “Exclua-me”.

D i m y t h r y u s
Embaixador Universal da Paz (Cercle de Les Ambassadeurs Univ.de La Paix-Genebra, Suiça)


Visite o site:

http://www.blocosonline.com.br/literatura/poesia_inicio.php

http://www.gargantadaserpente.com/toca/poetas/dimythryus.php

http://www.meiotom.art.br/darlanpo.htm



Breve biografia do poeta:


"DARLAN ALBERTO TUPINAMBÁ ARAÚJO PADILHA - Escreve também sob o heterônimo de Dimythryus. Nasceu em 20/03/1979, na Cidade de Itaquaquecetuba – SP. Estudou em escola pública, cursou grego e espanhol na Faculdade Mosteiro de S. Bento, no velho centro de São Paulo e, atualmente, é aluno de Letras, na Faculdade Renascença – SP. Premiações literárias: 2004: 6º lugar no Concurso Cataratas; 1º e 4º lugar no I Concurso de Poesia Cidade de São Bentinho – PB; 2º lugar no Concurso São Paulo em Prosa em Verso – RJ; 2º lugar no Concurso de Poesia Paulo Rosa – GO; 2º lugar no III Concurso de Poesias do Litoral Norte; 5º,6º e 7º lugar no III Concurso Virarte – RS. Em 2006: 3º lugar no Concurso Letras do Divino (Itanhaém – SP); 3º lugar na categoria Mérito Regional em prosa (Itatiba – SP). "


Mais informações, na Wikipédia - Enciclopédia Virtual: http://pt.wikipedia.org/wiki/Dimythryus

Contatos: dimypoet@yahoo.es / Dimythryus@hotmail.com /
Condeduklye@yahoo.com.br
Caixa Postal 1573 – CEP 01009-972 – São Paulo / SP
Página individual de poesia em Blocos Online
Página individual de prosa em Blocos Online"

Fonte:
Antologia Virtual Saciedade dos Poetas Vivos

Lei os poemas de Darlan, em:

http://www.blocosonline.com.br/literatura/poesia/obrasdigitais/saciedi

Marcadores: