domingo, 27 de abril de 2008

Por Um Fio-Clevane Pessoa



Por Um Fio(...)

03/10/2007 11h22
"Vida(...) Por Um Fio"

Clevane Pessoa



As moiras cuidavam do fio da vida, Láquesis, a que enrolava e sorteava o escolhido .Átropos, a deusa que cortava, determinadamente, esse fio.E era Cloto quem fazia uso do fuso e segurava o fio do existência.

Abro o jornal,o "Hoje em Dia" e já na primeira página , está escrito que "A Vida da pequena Michelle" está por um fio.Nas mãos ainda de Cloto, uma das três irmãs , filhas de Nix (t as Moires também também chamadas de Parcas, na Mitologia).

Tão poderosas as mulheres que determinavam as participações dos atores humanos no palco da vida, que nem mesmo Zeus, podia inferir em suas decisões.Claro, na Mitologia, os deuses usam suas estratégias:transformam em águas, arbustos, árvores, para que um protagonista não se finde de vez.


A palavra Moira, não referente ao trio, apaneas apalvra singular, significava mesmo destino. Aquele do qual não escapamos.A pequena achada no Ribeirão Arrudas, pode estar sendo considerada de sorte, mas os comprometimentos do parto, dos traumatismos, do líquido deglutido, podem levá-la a compromentimentos neurológicos vários.Quanto tempo, de anóxia, a falta de oxigenação cerebral? Teria acontecido hipóxia (falta de oxigênuio, nos trabalhos de parto)?O certo é que a pequenina, que recebeu o nome, com dois eles, na Maternidade Municipalo de Contagem, já sofreu várias convulsões.

E então,o repórter usa a velha expressão "Por Um Fio".Interessante o quanto somos afetados , na linguagem , por mitos e lendas, quantos ditados têm seu ponto de origem em crendices populares ou na Literatura, na Mitologia ou na História.

A Poeta Stella Hatch, de Juiz de Fora, mandou me dizer que não conseguiu ler o poema até ao fim.Pessoas maternais, identificam-se com a expressão "amor incondicional".No entanto, já se revela que o amor materno é apenas algo aprendido (ou apreendido) culturalmente, atávés do tempo.Então, considero uma evolução tal sentimento.Se as pessoas levavam seus filhos para serem criados por amas pagas, em casa pobres, por mais ricos que fossem, onde a falta de higiene provocaca uma grande mortandade infantil, se as sinhazinhas davam seus bebês à amamentação das escravas,por considerarem o ato repugnante ou socialmente inferior e, mais tarde, aceitou-se rapidamente o leite em pó, inicialmente doado, nas maternidades,para que as mamas não caíssem ( seios, a linda palavra poética, que dizer cavidades...), assim como nós, humanos, evoluimos nossa comunicação de grunhidos para a verbalização oral denominada, desta para a escrita, a linguagem das rosas e dos haikais japoneses evoluiu,e os bilhetes manuscritos foram trocados por datilografados, por telegramas, destes para o telex, deste para o fax, depois para os e-mails , os telefonemas, para as mensagens escritas e faladas dos celulares, assim o ato de parir e a criação dos filhos evoluiu para a convivência, a doação materna, o amor incondicional...

A mulher que pariu Michelle teria confessado que jogou seu fruto, qual uma fruta que não presta, pela janela, do sexto andar.O jornal hoje conta que o depoimento foi modificado.Que ela acreditou estar o bebê morto e o deixou nas margens do riacho.Moisés feminina, mas a mãe do personagem bíblico, queria salvá-lo e ficou espreitando se o seria.Se não, por certo, tentaria outra estratégia.

O preposto pai diz que não sabia da gestação.Ela , diz que não queria que o novo namorado soubesse do parto-tal e qual a que jogou a outra meninazinha dentro de uma saco plástico de lixo, na Lagoa da Pampulha, também em Belo Horizonte.Essa, foi bem segura por Cloto.Átropos não cortou o fio da vida.Láquesis a sorteara em vão.

O pedreiro pai, diz que visitara a mulher e a família, há uma semana , "por consideração".Algumas pessoas podem se perguntar :mas não viu a gravidez?
Bem, minha mãe e meu pai adotaram gêmeas, cuja mãe amamarrara o ventre de primípara, sob um prato fundo.Depois de nascidas (à hora do parto, pediu à patroa que continuasse a mexer o arroz, pois estava com cólicas e precisava se deitar um pouco), as criancinhas, uma morena e uma lourinha, foram oferecidas pela Rádio.Que se adotasse ambas, a mãe não queria separá-las.Mas não podia criá-las.O pai sumira, era pobre.Mamãe, com o terceiro filho, meu mano Luiz Máximo, de apenas um aninho, foi lá e trouxe as duas .Somente então, passou um "rádio" para papai, que estava no Rio, solcitando aquiescência.Ele lhe disse que pensasse bem, Máximo era ainda quase um bebê, mas...quantos metros de cretone e bramante deveria comprar, para fazerem fraldas -àquela época ainda não industrializadas no Brasil...Foi assim, que ele chegou noairoportocarregado de tecidos e roupinhas,mamadeiras e tudo mais.E todas as pessoas que sabiam,que uma jovem senhora com pouco mais de vinte anos e três filhos, pegara gêmeas, para criar,mandavam muitos presentes.E foi assim que fomos parar na Ilha de Fernando de Noronha, para que as menininhas tivessem mais segurança.Logo no aeroporto, a mulher do Governador veio nos receber com duas imensas caixas:crianças nascidas na Ilha recebiam um enxoval completo.E, por serem tão pequeninas, aquelas seriam consideradas de lá.

Mamãe, que por nenhum momento pensara em como as criaria, ficou perplexa ao saber que cada criança, teria direto a um litro de leite por dia.Recebíamos cinco.E haja doces e bolos..
.
Mas, apesar de tanto empenho na relação de ajuda ( por exemplo,a madrinha de meu mano, Aracy Suzana Vieira, pediu licença ,era professora em Manaus e foi para a Ilha, cuidar do Máximo, para não faltar carinho), as lindas menininhas não resistiram à dentição.Morreram aos sete meses, mesmo tendo o médico, com a esposa, morado em nossa casa, durante a doença.Atribuiu-se ao prato fundo, que as comprimiu durante meses, a pouca resistência.Por mais que os soros fossem pendurados, depois de secos, nas taquaras da cerca do quintal,que ninguém dormisse, que as amássemos ternamente, elas sucumbiram.E foi assim que viemos parar em Minas, pois mamãe já não se encantava com as belezas da Ilha, magrinha, a soluçar.Com saudade das filhinhas.Papai pediu tranferência para Juiz de Fora.

Minha família abrigou outras,chegadas maiores, papai levou ao altar, batizamos as novas gerações que elas nos traziam para acrescentar ao nosso núcleo familiar.

As associações invadem-me a memória.Quando estive no no projeto Educação e Saúde em Comunidade", que coordenei com a Dra.Maria da Conceição de Oliveira Costa, para projeto seu,os participantes deveriam tomar conta, por uma semana, de um ovo-a representar um filho.Quando terminaram , tanto para educadores de ambos os sexos e alunos, foi necessário fazermos um círculo de debates sobre o que se fazer com ovo - esse já antropomorfizado, com carinhas, touquinhas, roupinhas, berço ,quarto.Ninguém queria perder o filho frágil.E então, uma senhora ensinou a esvaziar a casca, da gema e da clara, enchê-la e cera para preservá-la.E assim foi feito..

Também encontrei uma professora acocorada chorando, logo no primeiro dia.Perto dela, o ovo ,que caíra e quebrara.Eu lhe disse que buscasse outro, na copa.Ela, aos prantos, contou-me de seus abortos espontâneos, de seu desejo de maternidade...

Histórias como a da mulher que pariu Michelle, sei de muitas.Uma paixão qualquer sobrepõe-se ao discutido amor maternal.E ao dar à luz, são capazes mesmo de querer se livrar da prova viva .Tudo isso vem entrelaçado com o grande equívoco da humanidade.O amor possessivo, cheio de exigências.O olhar masculino ,seletivo,sobre a mulher.Mas amor mesmo, é incondicional.Ama-se apesar de- e não "porquê".

Os espíritas acreditam que as almas escolhem as famílias.Os bebês escolheram suas mães.Algumas,, expulsam as possibilidades.E tudo porque a frágil esfera da verdade, qual um ovo, não pode ser partida,senão, a pessoa perde outras coisas que almeja.para ela, todas mais importantes que um mero nascituro.

Mas, felizmente, a humanidade evoluiu muito. A gestação consciente e desejada é cada vez mais uma realidade.Há dias, uma avó deui á luz gêmeos, abrigados em seu prórpio ventre, para que a filha pudesse realizar seu sonho de maternidade.Amor pleno e como soi ser.Não obstante as meninhas que recentemente, são sacrificadas, na China.Apenas por questões de gênero, de superpopulação.

Quanto às deusas em questão, depois foram substituídas .As parcas (*)(com o nome de Nona, Décima e Morta), presidiam ao nascimento, ao casamento e à morte.Que Morta decida o melhor para a pequenina:se tiver de suportar seqüelas graves, não seria melhor se...?Não, não temos direito de decidir:na Medicina, na Vida humana, não somente milagres acontecem, como vidas alternativas ou deficiente podem co-existir com outras, melhor dotadas, para nos melhorar.

A pseudo-boneca era uma garotinha, Foi vista,apontada, salva das águas poluídas.Teria vindo ao mundo para obrigar muitas pessoas a repensar assuntos tão delicados?Muitas pessoas já engrossam a fila das que esperam, para adoção.Há que haver um melhor serviço, para onde se dirijam mulheres que querem doar seus frutos, cadastrem-se, tenham toda a assistência, para que o bebê nasça saudável e o parto seja bem assistido.Em que pese o livro arbítrio, quem vem ao Mundo, tem direito de viver...

Clevane Pessoa de Araújo Lopes




Serviço:



(*)Para complementar, da wikipédia:"(...)Os poetas da antiguidade descreviam as moiras como donzelas de aspecto sinistro, de grandes dentes e longas unhas. Nas artes plásticas, ao contrário, aparecem representadas como lindas donzelas. As três deusas decidiam o destino individual dos antigos gregos, e criaram Têmis, Nêmesis e as Erínias. Pertenciam à primeira geração divina, e assim como Nix eram domadoras de deusas e homens. Junto de Ilitia, Ártemis e Hecate, Cloto atuava como deusa dos nascimentos e parto. Láquesis atuava junto com Tiche, Pluto, Moros, etc. qualificando o quinhão de atribuições que se ganhava em vida. Atropo juntamente de Tânatos, Queres e Mors determinava o fim da vida."

Obtido em "http://pt.wikipedia.org/wiki/Moiras"



Publicado por Clevane Pessoa de Araújo Lopes originalmente, no Recanto das Letras (Escrivaninha)em 03/10/2007 às 11h22
Seja o primeiro a comentar
Indique esta leitura para amigos

clevane pessoa de araújo lopes

Código do texto: T678913

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (autor e o link para o site "www.sitedoautor.net(Clevane pessoa de araújo lopes;(www.clevanepessoa.net/blog.php).Não se pode fazer uso comercial do texto .

Marcadores:

Poema para uma nuvem de paz-Clevane





POEMA PARA UMA NUVEM DE PAZ
Uma Nuvem, uma promessa: chuvas de PAZ.
Muitas nuvens
artes móveis,
preenchem o azul: muitas imagens, cores e tons de PAZ...
Tintas brancas, pincéis de fraternidade, desenham arabescos
e o vento da solidariedade, é suposto: tela de PAZ...
Brancos lírios, antúrios brancos, jasmins, magnólias, pétalas brancas,
ramalhetes olorosos, cheiro de PAZ...
Ninhais de garças, pombos aos beijos,
símbolos pacíficos, bandeiras de PAZ...
Origamis, papéis com poemas,
lanternas japonesas a tremular à luz interna: falam de PAZ...

Junte tudo, no côncavo das mãos,
sopre e mande para o Alto
com branca pana-pana a companhar as dádivas,
mais nuvens grávidas de amor, pela PAZ
no Planeta Terra
a partir da vontade das pessoas de BEM...

Clevane Pessoa de Araújo Lopes,Embaixadora Universal da Paz,
pelo Cercle des Les Embassadeurs de la Paix, Genebra, Suiça.


Pubicado em fevereiro de 2008-
http://djanealice.spaces.live.com/blog/cns!AAC1006942EA114E!850.entry




http://www.cirandasdeletras.cantodapoesia.net/bloco_2.htm



Paz,meu Bem Maior
Clevane Pessoa de Araújo Lopes

A Paz é meu bem maior e eu a busco
calma e silenciosamente,
sem nenhum movimento brusco...
Com minha pequena luz de pirilampo,
consigo encontrá-la no sagrado campo
das minhas aspirações,
nos jardins coloridos das boas intenções,
no riso e no sono das crianças inocentes...
Com minha lanterna de brinquedo embora,
já vi a Paz no meio das ruas cheias de pessoas,
nas praias,nos movimentos dos rios,
nas cintilações dos lagos...
Já senti Paz absoluta amamentando uma boquinha voraz,
dormitando nos braços do amado,
no gerúndio,sempre muito devagar
silenciosamente...
Mas o verdadeiro lugar onde a Paz pôde ser encontrada,
mesmo em meio às guerras,aos desastres,
mesmo nas UTIs,nas lixeiras,
em cabanas cheias de trastes,
em meio à dor mais propagada,
à ópera mais desafinada,
ao vendaval mais louco,
ao horror de todas as prisões,
foi dentro do coração humano...
Percebo que,mano a mano,
se as pessoas estão em acalmia plena,
é no berço de seus corações
que a paz pode ser engendrada,
e o homem beber de sua água clara e amena...

Belo Horizonte,Minas Gerais,Brasil
11/11/2002,


39. PAZ EM VÁRIOS IDIOMAS
enviado por Clevane Pessoa de Araujo Lopes

Abenaki OLAKAMIGENOKA
Afrikaans VREDE
Akan ASOMDWOE
Akkadian SALMU
Alabama ITTIMOKLA
Albanês PAQE
Algonquin WAKI IJIWEBISI
Alsaciano FRIEDE
Amharic SELAM
Árabe SALAM
Aranese PATZ
Armenio ASHKHARH
Assamese SHANTI
Aymara HACANA
Bemba MUTENDEN
Basque (Euzkera) BAKEA
Bavariano FRIDN
Batak PARDAMEAN
Belorusso PAKOJ
Bengali SHANTI
Bhojpuri SHANTI
Bislama PIS
Blackfoot INNAIHTSIIYA
Bosniano MIR
Bretão PEOCH
Búlgaro MIR
Buli GOOM-JIGI
Burmese NYEIN CHAN YAY
Cantonês PENG ON
Carolinian GUNNAMMWEY
Catalão PAU
Cebuano KALINAW
Chamorro MINAGGEM
Checo MIR
Cheyenne NANOMONSETOTSE
Chewa MTENDERE
Chinês HE-PING
Choctaw ACHUKMA
Chontal AYLOBAHA GAFULEYA
Chuuk KUNAMMWEY
Comanche TSUMUKIKATU
Corsican (north) PACE
Corsican (south) PACI
Creole PAIX
Crio PIS
Dari SULH
Dinamarquês FRED
Duala MUSANGO
Egípcio HETEP
Ekari MUKA MUKA
Eslovaco MIER
Esloveno MIR
Esperanto PACO
Esquimó ERKIGSNEK
Estoniano RAHU
Faeroese FRIDUR
Fanagolo KUTULA
Farsi (Persa) SOLH
Fijiano VAKACEGU
Filipino PASENSIYA
Finlandês RAUHA
Flemish VREDE
Fon FIFA
Francês PAIX
Francês (antigo) PAIS
Fresian FRED
Fula JAM
Gaelico-Irlandês SIOCHAIN
Gaelico-Escocês SIOCHAINT
Galiciano PAZ
Alemão FRIEDEN
Gikuyu THAYU
Grego EIPHNH
Greenlandic EQQISAQATIGIINEQ
Guarani PYGUAPY
Gujarati SHANTI
Halaka PEGDUB
Hausa LUMANA
Hawaiano MALUHIA
Hebreu SHALOM
Hindi SHANTI
Hokkien TAI PENG
Holandês VREDE
Hopi I-NU-MU (=peaceful)
Húngaro BEKE
Icelandic FRIDUR
Icelandic(older) FRIDR
Igbo UDO
Ila CHIBANDA
Indonésio DAMAI
Inglês PEACE
Inuktitut ANUSDAKE
Italiano PACE
Japonês HEIWA
Javanês RUKUN
Kannada SHANTI
Kazakh MIR
Kekchi TUKTUQUIL USILAL
Khmer(Cambodjano) SANTEKPHEP
Kinyarwanda AMAHORO
Kirundi AMAHORO
Klingon ROJ
Koasati ILIFAYKA
Coreano PYOUNG-HWA
Kosati ILIFAYKA
Kurdish ASHTI
Kusaiean MIHS
Lakota WOWANWA
Lao MITSUMPUN
Latim PAX
Latvian MIERS
Lingala KIMIA
Lithuanian TAIKA
Lojban PANPI
Luganda EMIREMBE
Magindanain KALILINTAD
Mahican ANACHEMOWEGAN
Malagasi FANDRIAMPAHALAMANA
Malay KEAMANAN (SALAM DAMAI?)
Malgache FANDRIAMPAHALEMANA
Maltês PACI
Mandarim HA-PIN
Manobo LINEW
Maori RONGO
Mapundungun UVCHIN
Maranao DIAKATRA
Marshallese AENOMMAN
Mentaiwan PERDAMIAM
Metis Cree PEYAHTUKE YIMOWIN
Micmac WONTOKODE
Miskito KUPIA KUMI LAKA
Mokilese ONPEK
Mongo BEOTO
Mongolian ENKH TAIVAN (?)
Mossi LAFI
Munsterian ECHNAHCATON
Navajo KE
Nepali SAANTI
Nez Perce EYEWI
Nhengatu TECOCATU
Norueguês FRED
Ntomba NYE
Nyanja MTENDERE
Ojibwe BANGAN (=to be peaceful)
Otomi HMETHO
Palauan BUDECH
Pali NIRUDHO
Papago DODOLIMDAG
Pashto AMNIAT
Pintupi YATANPA
Polonês POKOJ
Ponapean MELELILEI
Português PAZ
Potawatomi ETOKMITEK
Punjabi SHANTI
Pustu SULA
Quechua CASILLA (?)
Rapanui KIBA KIBA
Romanês PACE
Romansch PASCH
Ruanda NIMUHORE
Rundi AMAHORO
Russo MIR
Saa DAILAMA
Sami RAFAIDUHHTIT
Samoano FILEMU
Sanskrit SHANTIH
Sardinian PACHE
Servio MIR
Sesotho KHOTSO
Setswana KAGISO
Shona RUNYARO
Sinhala SAMAYA
Sioux WOOKEYEH
Siswati KUTHULA
Somali NABAD
Espanhol PAZ
Srilankan SAAMAYA
Sueco FRED
Swahili USALAMA (SALAMA?)
Tagalog KAPAYAPAAN
Tamazight(Berber) TALWIT
Tamil SAMADAANAM
Tangut NEI
Tatar DUSLIK
Telugu SHANTI
Thai SANTIPAB
Thiraro MBUKUSHI
Tibetano ZHIDE
Tlingit LI-KEI
Tongan MELINO
Truk KUNAMMWEY
Tsalagi NVWHTOHIYADA
Tswana KHOTSO
Turco BARIS
Turkmen PARAHATCYLYK
Twi-Akan ASOMDWEE
Ucraniano MIR
Uighur SAQ
Urdu AMAN
Uzbek TINCHLIK
Verlent PAXTEM
Vietnamita HOA BINH
Welsh HEDD
Wintu MINA
Woleaian GUMUND
Xhosa UXOLO
Yiddish SHULAM
Yoruba ALAAFIA
Yue SAI GAAI OH PIHNG
Zapotec LAYENI
Zulu HULA (UXOLO?)

24/04/2006

Marcadores:

ABRAÇAR O MUNDO-Clevane



ABRAÇAR O MUNDO

Abraçar o Mundo para não perdê-lo:

Ouvir a sonância e a dissonância de seus povos

conhecer as marcas de suas Terras

e tomar conhecimento da Natureza inteira...

deixar que o nosso coração ritmado.

se integre ao ritmo dos fenômenos naturais...

Abraçar o Mundo:

irmanar-se às outras gentes,

assimilar todas as diferenças

e somar pontos às igualdades

das demais Pátrias,

pois todos somos pertencentes à Terra,

semeados no mesmo Cosmos...

Abraçar o Mundo:

festejar as suas festas,

lamentar as suas guerras,

chorar as suas dores e misérias,

sobretudo,caminhar juntos para a verdadeira PAZ!

Clevane Pessoa de Araújo Lopes

Belo Horizonte,07/07/2005

Marcadores:

sábado, 19 de abril de 2008

PEN CLUB se pronuncia pro Melissa Patiño





Pronunciamiento por la libertad de Melissa Patiño

Los escritores y escritoras abajo firmantes, miembros del P.E.N Club del Perú y del P.E.N Internacional, expresamos a la opinión pública nuestra honda preocupación por la detención y encarcelamiento injustificados de la poeta Melissa Patiño Hinostroza, y por la amenaza a los intelectuales y artistas que han denunciado públicamente este atentado contra la libertad de pensamiento, la libertad de expresión y la libertad de escribir.

Melissa Patiño Hinostroza ha manifestado a los pocos medios informativos que lograron entrevistarla su independencia respecto de cualquier organización que no respete los principios democráticos que rigen en el Perú.

Sin contar con evidencia alguna, autoridades policiales y gubernamentales han justificado la detención de Melissa Patiño Hinostroza arguyendo que forma parte de una conjura contra el orden constitucional.

Apelamos a la vocación democrática del Presidente de la República, doctor Alan García Pérez, y del Ministro del Interior, doctor Luis Alva Castro, para que, haciendo uso de sus altas investiduras, dispongan la excarcelación inmediata de Melissa Patiño Hinostroza.

Invocamos, asimismo, a que se desista de realizar cualquier tipo de acoso o persecución, inaceptables en una democracia, contra intelectuales y artistas. Tal ha sido el caso de la batida policial realizada en el Jirón Quilca del centro de Lima, el viernes 14 de marzo pasado, contra poetas, artistas e intelectuales, a quienes se les decomisó por varios minutos el Documento Nacional de Identidad (DNI), supuestamente sólo para "identificarlos".

Esta grave situación ya ha sido puesta en conocimiento de la Oficina Central del P.E.N Internacional y sus centros distribuidos en 95 países del orbe.

Recordamos que el P.E.N Internacional es una institución con 87 años de existencia, durante los cuales ha bregado contra la censura y defendido los derechos de los escritores y escritoras que son víctimas de persecución, tortura y encarcelamiento por parte de cualquier tipo de gobierno; y ha denunciado el asesinato de aquellos cuyo único delito fue el de esgrimir la pluma para expresar lo que sentían y veían.

El P.E.N Internacional es una entidad plural que no tiene vinculación partidista alguna. Ha sido clasificada con Status A por la UNESCO, mantiene la categoría de ente consultivo de la Organización de Naciones Unidas (ONU), y está abierta a todos los escritores, sin distinción de clase, ideología, religión, nacionalidad, color de piel o género.

A le espera de pronta respuesta, muy atentamente,Tulio Mora, Óscar Málaga, Juan Cristóbal, Teófilo Gutiérrez, Marita Troyano, Fernando Obregón, Rosina Valcárcel, Alejandro Sánchez Aizcorbe, Arturo Corchera, Eduardo González Viaña, Miguel Ángel Zapata, Jorge Pimentel, Isaac Goldemberg, Odi Gonzales, Patricia Morey, Genevieve Lagalice.

Perú y Estados Unidos, 18 de Marzo de 2008.

FONTE-->http://peru.blogalaxia.com/fotos/identidad+nacional+en+el+peru

Melissa Patiño:"Dale un Poéma"


Através do Boletim de Poetas del mundo, recebo o pedido de Libertade para a jovem poetisa Melissa Patiño, encarcerada no Peru..
No site da entidade, da qual sou Cônsul Z-C em Belo Horizonte, há poemas de sua autoria.
Os jovens não foram feitos para reclusão alguma. A Humanidade não teria mudado-e para melhor- não fôra sua a ousadia, o que chamo, por experiência própria,de coragem da inocência. Os mais velhos são ponderados e prudentes.Os adolescentes e jovesn lançam-se a vôos altos ou distantes e são capazes de ver mares ignotos e redesenhar as nuvens.
Minha alma, contristada,de Poetisa e de Mulher, põe-se a imaginar alguém que escreve poemas, ante as paredes mudas ,que limitam sua passagem.Se tiver como, escreverá sobre elas, há de cobrí-las de Poesia pura.
Não penso nos motivos de sua prisão.Experenciar, para saber, é a necessidadde absoluta da juventudo ("Provai de tudo e ficai com o que é bom",aconselhava Paulo,o apóstolo). Como saber das coisas relativas, das passageiras, das inúteis e das errôneas, sem vivê-las?
Liberdade para Melissa Patiño!
De imediato escrevi um poema em espanhol, que talvez carregue alguns errículos gramaticais. Não é tão fácil escrever Poesia em outro idioma.Mas mando o poema para Gislaine Canales e Cristina Oliveira e vou enviá-lo para Ângela Togeiro os olharem com seus sensíveis e argutos "olhos de fora".e também com olhos de dentro. De mulher para mulher.
Quedo-me pensativa, ante o mesclado mundo feminino:e as menstruações? Bruna Lombardi, Poeta e atriz brasileira, apensar da liberdade implícita, enquanto filmou Grande sertão, veredas, e foi Diadorin, personagem apaixonante de Guimarães Rosa, não menstruou.E a vaidade feminina ? Em "Manicômios, Prisões e Conventos", livro que li ,consternada, no início da Faculdade de Psicologia (*), em depoimentos, as detentas sentiam falta de suas máscaras e vestes arrancadas e desvestidas:sedas, lingeries, esmaltes e pinturas de cabelo, além do batom , símbolo fálico e que aviva a boca, usado pela maioria, entre outros ítens de maquiagem.
Quanfo fomos jurados, a pedido das autoras de "presídio de Mulheres"-Elisabeth Misciasci e Luciane Makario -, no projeto ZaP , recebíamos textos verazes e pungentes. Chorávamos na madrugadas, a reler e pontuar poemas e contos, artigos, desabafos. Era um concurso voiltado para as "reeducandas" de prisões femininas paulistas. Quantas mulheres envolvidas por dedicação aos amantes,namorados, maridos!Tantas que nem entendiam por que ali estavam.A maioria, era envolvida por uma conjuntura que as arrastava consigo. Muitas temiam ser mortas , por queima de arquivo...
E a saudade dos filhos! E as que pariam encarceradas e que podíam carregar seus bebês no sistema canguru, enfaixados, contra o corpo materno, ou a favor dele, a saber que teriam de entregá-los-em geral à família- assim que desmamassem...
Os poetas precisam de asas, pois seu pensamento é muito amplo, forte e ágil.
Por isso, peço a liberdade de Melissa Patiño. Por ser mocinha de vinte anos. Por ser mulher. Por ser poetisa. E solicito que os poetas, assim como fizeram para a corrente pela Colômbia ("Colômbia, Dale un Poema"), aponham a meus versos depois versados por mim mesma para meu iidioma, o português, os seus.
Certamente e grande energia cósmica, se moverá, qual um rio que voa, qual uma águia que atinge píncaros, se nossos versos plenificarem de íons o ambiente, e nossa voz, em uníssono, possa ser melhor ouvida...

Clevane Pessoa de Araújo Lopes



POEMA PARA MELISSA PATIÑO

Clevane Pessoa de Araújo Lopes


Cuantos pies mensuran el camiño cuadadro de la celda?
Cuantas medidas mensuran eses pies femininos,
antes cuase con piel de melocotónes,
ahora cuase secos,quén los sabe, a mediren
el tamaño del cárcere?
Vinte anõs vividos tiene la poetisa
de ojos despetalados ,
niña-mariposa qué ahora non puede más volar.
Las palabras quedanse en la garganta ronca
y escribe con las manos desnudas en las -paredes
y en cualquir cosa dónde lo pueda ecribir viersos
de temor y soledad expresa en uno diario relleno
de las perplexidads de los que san mucho jovenes.

La juventud necesita bailar y la pasión dibujar
filigranas en su cuerpo inquieto.
Hienas sunreíen fuera de la celda.
El sol tambíém.
Ella non siente el perfume de las flores
pero los imagina.

-Eres una libre pensadora y también poetisa.

Poetas, libertad para Melissa...
Libertad para Melissa...


-Pero, porqué es poeta,niña, puedes flotar
y no es posible fusilar las palabras de tus viersos .

En tu nombre, la hierba-doce, Melissa,
lientamiente quema
en la llama votiva de tu alma
y desde tu cárcere,
nos llega asta acá, cual aromática lluvia
de esperanzas...

Quedate en la Paz...

L*I*B*E*R*T*AD P*A*R*A M*E*L*I*S*S*A P*A*T*I*Ñ*O!

Clevane Pessoa de Araújo Lopes
Belo Horizonte,Minas Gerais, Brasil.

Poema para Melissa Patiño


Quantos pés medem o caminho quadrado da cela?
Quantas medidas medem esses pés femininos
antes quase pele de pêssegos,
agora quase secos, quem sabe,
a medir o tamanho desse cárcere?
Vinte anos de idade tem a poetisa
de olhos despetalados.
_Menina- borboleta, que nesse agora,
não pode mais voar...
As palavras esperam em sua garganta rouca
e escreve com mãos nuas nas paredes
e em qualquer coisa onde possa escrever versos
de temor e solidão expressos em um diário recheado
das perplexidades dos que são muito jovens.

A juventude necessita dançar e deixar
que a paixão desenhe filigranas em seus corpos inquietos.

Hienas riem fora da cela.
O sol também.
Ela não sente o perfume das flores,
porém o imagina.

-És uma livre pensadora
e também uma Poetisa.

-Poetas, Liberdade para Melissa.
Liberdade para Melissa.

Porém , porque és Poeta, menina,
podes voejar,
e não é possível fuzilarem as palavras de teus versos.


A erva-doce de teu prenome,
lentamente queima
na chama votiva de tua alma
-e dede o cárcere, aí, nos chega até aqui,
qual aromática chuva de esperanças...

Fica em Paz!

L*I*B*E*R*D*A*D*E P*A*R*A M*EL*I*S*S*A P*T*I*Ñ*O!


Embaixadora Universal da Paz pelo "Cercle des les Embassadeurs Pour la Paix"-Genebra-Suiça

Todos os Poetas que nos enviarem poemas para Melissa Patiño e quiserem que sejam publicados ou artistas, com desenhos e telas), basta que autorizem a farão parte dessa energia.E-mail para remessa:



Atendendo ao apelo da Clevane eis o meu poema em favor da poetisa Melissa:

(Para Melissa Patiño, poetisa encarcerada
(de Lucia Welt)

Que mal pode um poeta
ter feito?
Nem em seus sonhos
de liberdade mais extrema,
em seus devaneios de liberdade
que por definição
não contêm sangue
somente os brados
e os cantos
de mil crianças em coro

Que perigo representa um poeta?
O perigo de uma criança
em sua candura...

Melissa Patiño espera
em sua cela
que não deveria ser
e existir
nem no absurdo
de um mundo sem luz.
A poetisa mártir
de sua própria juventude
e livre pensamento
resiste certamente
em sua cela

E espera que nos juntemos
a ela
irmãos em liberdade.

Que mais pode um poeta esperar
num mundo que encarcera
as crianças da alma?

Que todos ocupemos essa cela
com ela
que todos nos apossemos dessa cela
na ciranda milenar
dos poetas do mundo
de mãos dadas com Lorca,
Neruda e Darío
com Rimbaud e Pessoa
Florbela, Cecília e Alma Welt
Com todos todos
Com nós todos!

(Lucia Welt)

18/04/2008

Marcadores:

quinta-feira, 17 de abril de 2008

Cisnes nas Costa-.Caracol na Cabeça..




Imagens:Filhote de Cisne nas costas de adulto (não tenho o crédito do fotógrafo, se alguém souber, avise-me.

Arte da Poeta Silvane Sabóia sobre foto minha .


Cabecinhas verdes
de crianças :
bosques de temores
e ousadias
no imaginário cotidiano.



O medo infantil, se não bem sanado,
é carregado na alma.

Somos caracóis humanos
e na casa às costas,
nossa casa mental:
a criança que fomos
sempre está presente.

Por isso, precisamos
de panos, bolsas-cangurus,
colos de macaquinhas,
cafuné e beijo antes de dormir,
canções de ninar
e histórias
onde as crianças sempre são salvas
e premiadas no final.

Ser cisne nas costas do cisne adulto
enquanto ele singra,mansamente,
águas misteriosas e ricas de plâncton.

Clevane Pessoa de araújo Lopes

Poeta Honoris causa pelo CBLP

Oferecido a Marcelo Guedes, repórter da Rádio CBN/BH/MG que acaba de me entrevistar (veja página anterior)

Marcadores:

Cisnes nas Costas-entrevista a Marcelo Guedes-Rádio CBN



A imagem do cisne a carregar às costas filhote, é para lembrar que os pequeninos necessitam de segurança e paz para um desenvolvimento sadio e que cabe aos adultos de seu entorno, essa responsabilidade.


Da produção da Rádio CBN, Fabiana Arregui, liga-me e diz que querem que eu comente o caso Isabela. Meu primeiro primeiro impulso é dizer não.OA história já sofre uma overdose de exposição da mídia.Quando morre uma criança, a comoção percorre o país, felizmente ainda não vacinado contra a violência.Seqüestros, todavia, embora terríveis ,referem-se a crimes hediondos, sim , mas fala-se de quadrilhas.Não tão raramente há envolvimentos familiares, mas são poucos.Fala-se de pedofilia -e já ouvi , em consultório, mas histórias que gostaria - e Clero fica sob o olhar acusatório das pessoas, vocações são interrompidas, renúncias acontecem.Quando alguém próximo é suspeito, todo omonconsciente coletivo efervece.

Se a madrasta, uma madrasta, a mãe postiça,enviam Joãozinho e Maria para a floresta a fim de que ali sejam abandonadas, um caçador matar Branca de Neve e arrancar-lhe o coraçãozinho por prova, se um menino atravessa noite de inverno a levar uma carta que determina seu próprio assassinato para entregá-la ao algoz contratado, os finais são felizes.Milagrosamente,feéricamente, as crianças são salvas.Nos quartos infantis antigos, era comum um grande quadro, onde um casalzinho de tensa idade atravessa uma perigosa ponte pênsil, um tronco de árvore ,se ver a imagem de um grande anjo, onde a concepção do pintor coloca asas similares às de aves, mas na verdde a representar a grande energia em torno desses seres de luz - a proteger as criaturas.
Ou seja:criança se salva, sempre.Isso dava um grande alívio aos temores infantis.Os pais , avós, babás,contavam a história tétrica, mas de final feliz.
Depois davam um beijo de boa noite.Os mais circunspectos, apenas falavam.Mas a criança adormecia aliviada.Aquilo, acontecia apenas nas histórias , não com crianças de verdade.Ela estava a salvo, em sua caminha.As crianças sempre são salvas e premiadas por vidas melhores nos finais felizes.

Agora, enquanto os pais trabalham , a mídia incha os horários de noticiário com detalhes do crime.

Supostamente, adultos próximos estão envolvidos.
O pai.A madrasta.A palavra é marcada.Há anos, com a multiplicidade de casamentos que acomete a família hodierna, não por falecimento, mas por separação, a criançada aprende a conviver com vários pais e mães além dos biológicos.A namorada po papai, o noivo da mamãe, são expressões comuns.Esses padrastos vêm fazendo de tudo, para parecerem o melhor possível.É a realidade nova;a família nuclear, não dura para sempre.Então, pretendes a pais se esforçam para serem cordatos, melhores mesmo que os pais biológicos-e assim conquistar a pessoa desejada ou as crianças.e/ou.mesmo quando dizem que não desejam substituir os ex-cônjuges dos companheiros, no fundo, ambicionam provar que têm condições de fazer uma nova e melhor família.

Eu sempre digo que procurem ser bons amigos.Isso basta.Não é bom que se fale mal do pai ou da mãe de uma criança ou adolescente .Mesmo que um seja acoolista -uma doença, na verdade, ou que traia, esteja constantemente desempregado, aind assim , biologicamente há laços fortes entre os genitores e suas criaturas.

Sabemos que muitas crianças sentem-se mesmo aliviadas com a separação dos pais.Esses, não são mais um casal, mas são recuperados-e há mesmo uma disputa íntima ou explícita de cada um deles, em separado, querer ser melhor quen o outro.Inicialmente cinfusas, as crianças acabam percebendo ao bônus sobreposto ao ônus da perda no cotidiano:são fins de semanas e férias, presentes, palavras gentis a mais.

No caso em questão, a insegurança pode bater fortemente contra as vidraças do mito de que tudo para criança, acaba bem.Não acaba.Algumas morrem.Madrasta não é bo.Pais ficam ao lado da madrast...muito antes que as suspeitas se confirmem, videntees já dizem que foi ela, acobertada por ele, especulações são ventiladas nos salões de beleza.Professores e alunos discutem a casuística.

Crianças começam a ter medo.Pânico, terror noturno.Mães que confiavam seus filhosáos cônjuges e suas novas parceiras, começam a duvidar se será seguro.Passam também a não dormir.

Os fantasmas que atormentam as crianças são muitos.Uma coisa é assistir desenhos animados onde figuras animadas são amassadas e desamassam-se par continuar em fuga,lutas orientais de clarles Chan...
lembro-me que há anos, quando eu clinicava em S.Luiz , maranhão, passou na TV um clip onde Michael Jackson enquanto cantava e dançava , transformava-se, paulatinamente, em um monstro verde.No outro dia, cinco mães levaram filhos pequenos a meu consultório, apavoradas, dois tendo mostrado sinais de terror noturno-não a patologia, mas um pavor intenso, acompanhado de todas as somatizações:taquicardia, sudorese - das inquietação psicotoras...E, durante a semana, recebi outras.Isso, nos anos 80.No terceiro milênioo, jpa de retorno a Belo Horizonte,eu conversava com um futuro paciente que sofria de insônia, quando ele, adulto bem realizado, contou-me sobre essa experiência, tida na infância :anos depois, ainda tinha pesadelos com...Michael Jackson.

A repórter explica-me que a entrevista será sobre "como fica a cabeça das crianças ante o caso".Sendo assim, concordo.Pois respeito muito a CBN e quem vai entrevistar-me é Marcelo Guedes, repórter que me deixa falar, e faz perguntas inteligentes.
Conto a Fabiana que , quando retornei de Belém , a CBN entrevistou-0me sobre regressão a vivências passadas e que trinta pessoas me ligaram e ficaram esperando que eu abrisse um consultório, para serem atendidas.Não esquecerei a dívida de gratidão.

Daqui a pouco, estarei na 106.1, aqui em Belo Horizonte, conversandoi sobre esse triste assunto e suas coinseqÜências nas cabecinhas verdes de nossas crianças e que atitudes deverão ter pais e "padrastos" a partir de então.

O mmedo infantil, se não bem sanado, é carregado na alma.Somos caracóis humnanos e na casa às costas, nossa casa mental, a criança que fomos sempre está presente...

Clevane Pessoa de Araújo Lopes

Marcadores:

quarta-feira, 16 de abril de 2008

1ª OFICINA DA TV CARACOL


Fernando Barbosa, que não para de criar e adora atuar com mídias várias, convida para 19 de abril:
"Convidamos você e a toda comunidade da Vila Santana do Cafezal a participar da 1ª OFICINA DA TV CARACOL
“ Com a Comunicação Popular, você também constrói o que vai para telinha! “
Dia: 19 de abril, às 14 horas
Local: Sede do Sistema de Comunicação
Rua Bela Vista , 56
Aglomerado da Serra"

Cumprimentamos o autor e fotógrafo por mais essa conquista, e alguramos boa sorte na nova empreitada.

Clevane Pessoa
DR do InBrasCi em BH/MG




13 de abril de 2008

Com certeza essa data será inesquecível para quem compartilhou com
As Brigadas Populares e a Associação Comunitária dos Moradores
da Vila Santana do Cafezal a inauguração do Sistema Caracol de Comunicação Popular, que por volta das 11 horas da manhã desse dia cabalístico, 13, entrou no ar a TV Caracol - Canal 35 UHF.

Ao chegar no estúdio da Caracol, acompanhado do nosso agora revigorado José Guilherme Castro e também do companheiro Rogério Baracho que me revela o que foi feito com o transmissor da nossa querida A Outra Fm 105,5 FM, que hoje se encontra fora do ar, mas extinta jamais... fez história, história que carinhosamente preservo vinhetas e matérias que foram levadas ao ar em nossas transmissões ao longo de aproximadamente 2 anos.

Olho discretamente para um lado e vejo a TV Caracol no ar, retransmitindo via satélite o programação da Tele Sur – diretamente da Venezuela para a Vila Santana do Cafezal, olho para o outro e vejo uma juventude feliz e com aquela sensação gostosa de pré estréia, de missão cumprida, ou seja... ajustes finais foram feitos e mais uma vez foi permitido demonstrar o que já estava preparado pra a apresentar aos convidados e levar o transmissor, o DVD e a câmera de filmagem para andar térreo da Associação para atender melhor a diversas entidades que foram convidadas para esse momento, assim como todos aguardavam também pela participação da comunidade, dos moradores da Vila Santana do Cafezal.

Um delicioso cafezinho acompanhado de bolachas estava servido enquanto aguardávamos mais um grande momento histórico para o Aglomerado da Serra e sem duvidas para a democratização da comunicação.

As jovens meninas das brigadas populares, mais que entusiasmadas, e sim conscientes da importância daquele momento e quiçá responsáveis pelas mudanças que a partir de hoje passam a ser uma realidade para os moradores do Aglomerado da Serra, em especial os moradores da Vila Santana do Cafezal, fizeram uma breve apresentação e deram em seguida a palavra a quem se interessasse a ler a carta de intenção do que seria o Sistema Caracol de Televisão.

Naquele momento o que aparentemente para alguns poderia ser uma reunião, se transformou num programa de TV, sem uma pauta por assim dizer, mas muito natural, espontâneo, e histórico.

Frei Giovander, Ronaldo Zena, e o companheiro Vinicius fizeram a leitura do manifesto, seguido depois da palavra de Pedro Otoni e José Guilherme Castro, Anselmo CRP, entre outros(as) e da professora e advogada Delzi.

Em seguida, a comunidade passa a ter voz e imagem na TV Caracol, questionando, sugerindo, e principalmente reivindicando pautas que podem vir a dar linha a uma programação semanal para a TV Caracol.

Ainda nessa oportunidade assistimos ao TV Lição, produzido e apresentado por José Guilherme Castro, que nos ensina a montar um canal de TV em apenas 5 minutos a um custo mínimo e eu diria até ao alcance de todos... de todos aqueles que realmente estarão usando esses recursos para um engrandecimento da comunicação alternativa no Brasil.

Por falar em Comunicação Alternativa, reporto aqui novamente a entrevista que produzi com os cantores Chico Cesar e Nando Reis por ocasião do 7º Festival Internacional de Teatro Palco & Rua realizado em Belo Horizonte, no período de 18 a 30 de agosto de 2004, onde mostramos a nossa capital e aos artistas internacionais a força na Associação Brasileira de Radiodifusão Comunitária ao levarmos ao ar boletins diários e entrevistas e coberturas ao vivo de espetáculos realizados nessa ocasião.


Ao entrevistar o nosso querido Chico César nessa ocasião, ele deixou claro que:

As Rádios Comunitárias assim como as TVs Comunitárias, são possibilidades de descentralizar a cultura, a informação.

Um dos pilares da dominação se da pela informação, então a medida que mais pessoas possam ser não apenas receptoras mas também emissoras de comunicação, de informação, ai teremos um país e um mundo em geral mais democrático, em que bairro possa discutir seus problemas independentes dos interesses comerciais, dos interesses políticos independe do resto da cidade do resto do estado ... então eu sou totalmente a favor dessas iniciativas.

Eu agradeço a receptividade de todos vocês e desejo vida longa a esse espírito crítico que renina em Belo Horizonte e em Minas Gerais.

Ao entrevistar também no 7º FIT, Nando Reis externa sua opinião dizendo:

Cara eu não vejo nada mais saudável atualmente no Brasil do que as Rádios Comunitárias. Elas são voltadas para os interesses das comunidades e resgatam o princípio básico do Rádio que é ser informativo, que é trazer riqueza cultural para os ouvintes e possibilitar que eles cresçam e se eduquem com aquilo que esta ao redor deles, é um abrir nos olhos e fazer aquilo que as Rádios Oficiais se esqueceram de fazer já muito tempo.
O mundo está muito selvagem , e é possível reunir gente sem que isso necessite de policia, de repressão, de violência. É isso!


Representantes da Associação Comunitária dos Moradores
da Vila Santana do Cafezal também tiveram sua brilhante participação falando daquele momento e o quanto estão empenhando em colaborar no que preciso for para a cada dia esse movimento ganhar força diante a sociedade belorizontina, mineira e porque não dizer brasileira.

Agradeço a oportunidade e o privilégio de ter sido convidado, de poder enfim comparecer, e por de repente, quando eu me dei conta, eu esta ali... retomando minha profissão, só que desta feita como cinegrafista de uma emissora de TV... meu Deus... muito obrigado, e aos amigos digo que vocês não tem idéia do que isso representa para minha vida... euzinho, segurando uma câmera, filmando e levando ao ar imagens para um canal de TV que ficarão registradas em minha meu coração para sempre.

Ah... não poderia é claro deixar de falar dos amigos que fiz, como foi conhecer a Lívia - estudante de jornalismo da Universidade Federal de Viçosa, que na hora a recomendei para não deixar de visitar a Exposição da nossa querida amiga Déia Leal. Muito feliz também fiquei ao reencontrar com o Rogério, o Vinicius, o Ronaldo Zena, o Denílson, que surpreende a todos em deixar de lado a idéia de morar na Espanha e estar aqui de volta ao Brasil, meu Brasil Brasileiro, como disse o próprio, o Robert, a Karina, a Flavia, a Silvana, o Pedro Otoni, que afirmei categoricamente que se eu não estive ali, ai sim, estaria ainda mais pobre.
Ah!... Não esquecendo é claro do Heitor Reis que não pode comparecer.

Não posso deixar também de falar do congraçamento final que foi uma deliciosa feijoada que a Associação Comunitária dos Moradores da Vila Santana do Cafezal preparou para os convidados, simplesmente divina.

Parabéns a todos os presentes lembrando que:

Convidamos você e a toda comunidade da Vila Santana do Cafezal a participar da 1ª OFICINA DA TV CARACOL
“ Com a Comunicação Popular, você também constrói o que vai para telinha! “
Dia: 19 de abril, às 14 horas
Local: Sede do Sistema de Comunicação
Rua Bela Vista , 56
Aglomerado da Serra

Viva... demais!


Fernando Barbosa e Silva
Espaço Cultural Casa do Fernando
5 anos de Produção Artística e Cultural




Visite!
http://fernandobarbosaesilva.arteblog.com.br
http://fbarbosaesilva.multiply.com
http://fernandobarbosa.slide.com
Fernando Barbosa e Silva
Repórter Fotográfico
Belo Horizonte-MG

Marcadores:

Projeto Desligare na FUNARTE-Rio



Recebo, do Goto, através do Coro Coletivo,uma nota-convite sobre o DESLIGARE, que se exibe no Rio de Janeiro -em Galeria da FUNARTE.Se vc mora no Rio de janeiro, está por lá ou sabe quem vai, é uma boa pedida.


"Olá,

Até esta próxima sexta-feira, dia 18/04/2008, o projeto Desligare estará sendo exibido numa das Galerias da Funarte-RJ.

Então, pra quem ainda não viu, são os últimos dias para experienciar esta situação expositiva, montada como videoinstalação e proposta ambiental específica.

A visitação é gratuita.

Abaixo segue link com vídeo da ocupação da galeria (duração de 1min19seg).

http://estudiolivre.org/repo/5796/desligare_rio_com_arremesso.ogg

Ao final deste breve registro, a ação Arremesso público da TV, proposta de Luís Andrade realizada com a colaboração de Giordani Maia, Barbara Szaniecki, Abel Duarte e Goto. Câmeras: Goto e Giordani. Edição: Ricardo E. Machado e Goto.

Desligare constitui-se de 115 situações de desligamento de TV, feitas com mais de 100 participantes nas cidades de Curitiba, Rio, SP e Londrina, entre outras localidades. A proposa foi desenvolvida com o financiamento do Bolsa Produção em Artes Visuais da Fundação Cultural de Curitiba no ano de 2006 e estreou em 2007.

Desligue a TV e viva a vida ao vivo!

&... a_que_le a_braaaaa_ço!
go_to: go_to:

Marcadores:

Pífanos e Mamulengos, Hoje, na Lagoa do Nado.



O Centro Cultural Lagoa do Nado, hoje alegra seus visitantes e frequentadores habituais, com os "Pífanos e Mamulengos", com João do Pife e Zé Lopes.

Informações:

Centro de Cultura Lagoa do Nado
Telefones: 3277.7420 - 3277.6746Fax.
- Biblioteca: 3277.7336

Marcadores: , ,

3º Encuentro Latinoamericano-Reunión de voces"

A jornalista Brenda Mars, que preside o Imersão Latina, deve ir brevemente à Argentina.Numa boa sincronicidade , recebeu o convite abaixo,de gabriela delgado, que passamos a divulgar:


"El Grupo Pretextos
los invita a participar del
3º Encuentro Latinoamericano
"Buenos Aires Poesía- Reunión de voces"
del 1 al 4 de mayo en Buenos Aires

El evento tendrá lugar en el Casal de Catalunya – Salón Guimerá - Chacabuco 863 entre Av. Independencia y Estados Unidos. Barrio de San Telmo, los tres primeros días de 15 a 21 hs, el día del cierre de 15 a 18 hs.

Las jornadas incluirán las siguientes actividades:
· Exposición de Artes Plásticas
· Mesas de lectura (5 minutos por poeta)
· Presentaciones de libros (15 minutos por autor y hasta un máximo de 12 libros)
· Presentación de revistas literarias (10 minutos por editor)
· Presentación de editoriales (10 minutos por editor y hasta un máximo de 4)
· Mesas integradas por escritores reconocidos
· Conferencias
· Entrelazando poemas, con Jorge Moya, creador e intérprete de La Vida de Noche, su espacio radial dedicado a la poesía
· Momentos musicales: Tango: Eleonora Barletta y otras sorpresas
· Viernes: Almuerzo de camaradería
· Premio "Reunión de Voces 2008". Se hará una preselección entre quienes se destaquen por calidad y originalidad. La lista de preseleccionados se dará a conocer el último día, momento en que los elegidos deberán estar presentes para volver a leer y, tras la votación de sus pares, se entregará el premio al autor ganador)

Inscripción: $ 30 (se abonan al momento de la acreditación, por favor completar los datos al pie)
Les recordamos que los cupos son limitados, por lo que sugerimos realicen las inscripciones respectivas con antelación.
En breve estaremos en condiciones de hacer llegar la invitación oficial a quien así lo requiera.
Por propuestas y costos de alojamiento dirigirse a María Laura Coppié (malalacoppie@yahoo.com.ar)

También queremos recordarles que este evento se desarrolla en forma paralela con la Feria del Libro de la Ciudad de Bs. As. lo que facilita a los escritores del Interior y del Exterior la posibilidad de concurrir a la misma.

Agradecemos la difusión de esta información

Informes e inscripción:
grupopretextos@yahoo.com.ar
completando los siguientes datos:

Nombre y Apellido:
Ciudad y país de procedencia:
Dirección de mail.

Participa en: (borrar lo que no corresponda)
Mesa de lectura
Presentación de libro (nombre del libro)
Presentación de revista literaria (nombre de la revista)
Presentación de editorial (nombre de la editorial)
Ponencia (tema)

Para acercarte al evento tenés las siguientes posibilidades:

Colectivos: 2, 6, 7, 9, 10, 17, 22, 24, 26, 28, 29, 45, 56, 59, 64, 67, 70, 74, 86, 91, 98 (R 116), 103, 105, 111, 126, 130, 142, 146, 152.

Subtes: Línea D (Estación Catedral), Línea C (Estación Moreno), Línea E (Estación Bolívar), Línea A (Estación Perú)






Gabriela Delgado
agualunagd@yahoo.com.ar

Marcadores:

Melissa Patiño:Dale um poema,y, se lo puedes, la libertad



Melissa Patiño:Dale um poema,y, se lo pudes, la libertad

POEMA PARA MELISSA PATIÑO

Clevane Pessoa de Araújo Lopes


Cuantos pies mensuran el camiño cuadadro de la celda?
Cuantas medidas mensuran eses pies femininos,
antes cuase con piel de melocotónes,
ahora cuase secos,quén los sabe, a mediren
el tamaño del cárcere?
Vinte anõs vividos tiene la poetisa
de ojos despetalados ,
niña-mariposa qué ahora non puede más volar.
Las palabras quedanse en la garganta ronca
y escribe con las manos desnudas en las -paredes
y en cualquir cosa dónde lo pueda ecribir viersos
de temor y soledad expresa en uno diario relleno
de las perplexidads de los que san mucho jovenes.

La juventud necesita bailar y la pasión dibujar
filigranas en su cuerpo inquieto.
Hienas sunreíen fuera de la celda.
El sol tambíém.
Ella non siente el perfume de las flores
pero los imagina.

-Eres una libre pensadora y también poetisa.

Poetas, libertad para Melissa...
Libertad para Melissa...


-Pero, porqué es poeta,niña, puedes flotar
y no es posible fusilar las palabras de tus viersos .

En tu nombre, la hierba-doce, Melissa,
lientamiente quema
en la llama votiva de tu alma
y desde tu cárcere,
nos llega asta acá, cual aromática lluvia
de esperanzas...

Quedate en la Paz...

L*I*B*E*R*T*AD P*A*R*A M*E*L*I*S*S*A P*A*T*I*Ñ*O!

Clevane Pessoa de Araújo Lopes
Belo Horizonte,Minas Gerais, Brasil.

Poema para Melissa Patiño


Quantos pés medem o caminho quadrado da cela?
Quantas medidas medem esses pés femininos
antes quase pele de pêssegos,
agora quase secos, quem sabe,
a medir o tamanho desse cárcere?
Vinte anos de idade tem a poetisa
de olhos despetalados.
_Menina- borboleta, que nesse agora,
não pode mais voar...
As palavras esperam em sua garganta rouca
e escreve com mãos nuas nas paredes
e em qualquer coisa onde possa escrever versos
de temor e solidão expressos em um diário recheado
das perplexidades dos que são muito jovens.

A juventude necessita dançar e deixar
que a paixão desenhe filigranas em seus corpos inquietos.

Hienas riem fora da cela.
O sol também.
Ela não sente o perfume das flores,
porém o imagina.

-És uma livre pensadora
e também uma Poetisa.

-Poetas, Liberdade para Melissa.
Liberdade para Melissa.

Porém , porque és Poeta, menina,
podes voejar,
e não é possível fuzilarem as palavras de teus versos.


A erva-doce de teu prenome,
lentamente queima
na chama votiva de tua alma
-e desde o cárcere, aí, nos chega até aqui,
qual aromática chuva de esperanças...

Fica em Paz!

L*I*B*E*R*D*A*D*E P*A*R*A M*EL*I*S*S*A P*AT*I*Ñ*O!


Embaixadora Universal da Paz pelo "Cercle des les Embassadeurs Pour la Paix"-Genebra-Suiça

Marcadores: , , ,

terça-feira, 15 de abril de 2008

POETUS ,DE ABRIL


Imagem:Poetus de Abril-mais um poster virtual e de papel do fotógrafo Marco Llobus, de belo Horizonte.
Quando ele abre a boca, os versos jorram, pois as palavras chegam seguras e verdadeiras.belas e emocionantes.Do ator e artista plástico que representa parte de seu self, retira seu estilo e modus vivendi.Isso, reflete-se em sua POIESIS.

Neste mês, POETUS reflete Ricardo Reis, qual um espelho mágico,mas de alta precisão.E os versos estão aí, para a comprovação devida.

A série anteiror, de POETUS, está à mostra no Centro Cultural de Venda Nova.No CC S.Bernardo, a coleção inominável de HUS MANUS.

Llobus é o Presidente da rede catitu, onde as Artes e as Letras coordenam-se ao social.

Cklevane Pessoa de Araújo Lopes
Diretora Regional do InBrasCi em Belo Horizonte, MG

Marcadores: ,

Forum Social Mundial 2009,em Belém, Pará, Brasil




Fotos:a)Na praça, onde ficam os Teatros da Paz e Waldemar Henriques, o verde são as famosas mangueiras de belém, que formam verdadeiros túneis em certos espaços.
b)Ver-o-Peso(Mercado Fluvial, às margens do Rio Guamá)


O Forum Social Mundial, em 2009, acontecerá em Belém .Morei lá de 1986 até 1990.Trabalhava na Av.Getúlio Vargas, psicóloga do INAMPS, num Posto de psiquiatria.Às sextas feiras, ali passava,e as barracas para a feira de artesanato começavam a ser armadas.Nela, podemos encontrar dos famosos "cheiros" da Amazônia-patichuli,pau -d'angola ,priprioca e outros mais, até peles de cobra, sandálias de couro cru.Mas também cartões de papéis recortados, com figuras tridimensionais e rendilhadas, jóias maravilhosas, bijouteria variada,camisetas com poemas e figuras da floresta, arte,escultura, instrumentos de percussão,miniaturas de balata (borracha de seringueira) e mais um grande quantidade de belezas ,brinquedos, flores, mais os poetas e cantadores, entre turistas deslumbrados.No Teatro Valdemar Henriques,fui várias vezes assitir meu filho Alessandro (Allez Pessoa) e sua banda, especializada em blues (Espergo de Marfim, o nome de uma delas:o efêmero e o eterno)...também algumas vezes passei e vi, na grama ,um francês brincava com bebês gêmeas cegas, que viera buscar:as menininhas haviam sido adotadas por um casal no oriente que as rejeitaram quando perceberam a deficiência visual.Esse francês magro , já pai, fazia com que ambas se adaptassem a ele,e sorria-lhes, falava na Língua que seria delas.
No coreto da praça, morava um maestro de outro estado,expulso do clã familiar por ser alcoolista.Passava e o via estendendo sua roupa ali na Praça, tranqüiamente.
Não é incomum sencontrar pessoas com preguiças mrosas ao ombro.Toma-se "tacacá -no- tucupí" em coités adornadas.Coités são cuias vegetais, pela metade, à guisa de prato fundo.Tacacá -no -tucupí é um mingau apimentado, com folhas e um camarão.Nas lanchonetes e sorveterias, encontra-se uma grande variedade de sabores:açaí (agora em uso no "sul maravilha"),castanha do pará, cupuaçu...
No dia 12 de outubro, cultua-se a senhora de nazaré.na proicissão do "Círio":pessoas com ex-votos , pedras e casinhas na cabepa, arrastam-se, encaloradas, para pagar promessas, pedir uma casa-de preferência de alvenaria, pois a população pobre usa a rica e farta madeira para construi-agradecer.Muito choro.Episódios de histeria coletiva.milagres, fé.E come-se então, pato-no-tucupi.Eu já o saboreara em criança, mas adulta, fui inaugurar uma URE(Unidade de referência em adolescência, pelo MS0 e ministrar aulas e oficinas, quando a dra Maria da conceição de Oliveira Costa, hebiatra e pesquisadora, convidou-me para saborear o famosos acepipe.
Dos deuses.
Gosto muito de Belém e cada vez que era convidada a voltar a trabalho, ficava mais um dia apenas para rever a feira de artesanato e osm muitos amigos que fiz por lá.
Mas...isto é apenas uma introdução, então, leiam sobre o forum, abaixo.

Clevane Pessoa de Araújo Lopes.

14.04.2008
Conselho Internacional confirma datas do FSM 2009 na Amazônia

O Conselho Internacional se reuniu em Abuja, na Nigéria, entre 30 de março e 3 de abril, e confirmou a data exata de realização do Fórum Social Mundial 2009, em Belém do Pará, no Brasil. O evento acontecerá de 27 de janeiro a 1º de fevereiro de 2009. O território do FSM2009 será constituído pela Universidade Federal do Pará, a Universidade Federal Rural da Amazônia e possivelmente o Núcleo Pedagógico Integrado – NPI, essencialmente. Para saber mais sobre o processo de construção do FSM2009, visite a página http://belemjaneiro2008.blogspot.com


Recebo, pelo Coro Coletivo.

Clevane Pessoa de Araújo lopes

21.08.2002
Esclarecimento sobre os princípios que orientam a organização do Fórum Social Mundial
O grande impacto político que teve o Fórum Social Mundial (FSM) de 2002 ensejou um amplo debate de avaliação do evento, que estamos divulgando pelo nosso site. Julgamos, todavia, apropriado recordar que o FSM é organizado com base na Carta de Princípios aprovada pelo Conselho Internacional em 10 de julho de 2001.

Entre os pontos da Carta de Princípios, lembramos os seguintes:

a) A definição do FSM como "um espaço aberto de encontro" (ponto 1), "plural e diversificado, não confessional, não governamental e não partidário" (ponto 8).

b) A delimitação política do FSM como espaço "de entidades e movimentos da sociedade civil que se opõem ao neoliberalismo e ao domínio do mundo pelo capital e por qualquer forma de imperialismo" (ponto 1). Suas propostas "contrapõem-se a um processo de globalização comandado pelas grandes corporações multinacionais e pelos governos e instituições internacionais a serviço de seus interesses, com a cumplicidade de governos nacionais" (ponto 4).

c) O caráter não deliberativo, enquanto FSM, dos encontros do FSM. Este ponto de método, freqüentemente incompreendido, exige um destaque: o FSM "não se constitui em instância de poder, a ser disputado pelos participantes de seus encontros" e ninguém estará "autorizado a exprimir, em nome do Fórum... posições que pretenderiam ser de todas/os as/os seus/suas participantes. @s participantes não devem ser chamad@s a tomar decisões, por voto ou aclamação, enquanto conjunto de participantes do Fórum" (ponto 6). Está, todavia, "assegurada, a entidades ou conjuntos de entidades que participem dos encontros do Fórum, a liberdade de deliberar... sobre declarações e ações que decidam desenvolver", que o Fórum difunde amplamente (ponto 7).

d) "O FSM será sempre um espaço aberto ao pluralismo e à diversidade de engajamentos e atuações" (ponto 9), fonte de riqueza e força do movimento por um outro mundo. O Fórum conviverá com contradições e será sempre marcado pelo conflito de opiniões entre as entidades e movimentos que se colocam nos marcos de sua Carta de Princípios.

e) O FSM é aberto e não opera com base em convites. Ele viabiliza condições para que todos que queiram promover suas atividades, sob qualquer nome (oficinas, seminários, encontros, fóruns, etc), possam fazê-lo. As únicas atividades desenvolvidas no FSM 2002 sob responsabilidade coletiva do Comitê Organizador e o Conselho Internacional foram 27 conferências (cujos participantes foram definidos em conjunto com os animadores) e testemunhos de 15 personalidades. Nenhuma entidade ou organização cujo perfil esteja em concordância com os princípios do FSM teve ou terá negada a sua participação nos seus eventos.

f) O Fórum Mundial de Parlamentares e o Fórum de Autoridades Locais dialogam com o FSM e seus participantes, mas foram organizados como iniciativas autônomas, o primeiro por uma Comissão de Parlamentares e o segundo pela Prefeitura de Porto Alegre - com o mesmo estatuto que os demais seminários -, e não pelo Comitê Organizador e pelo Conselho Internacional. O FSM "reúne e articula somente entidades e movimentos da sociedade civil de todos os países do mundo" (ponto 5) e "não deverão participar do Fórum representações partidárias nem organizações militares" (ponto 9). Mas isso não significa que não "poderão ser convidados a participar, em caráter pessoal, governantes e parlamentares que assumam os compromissos desta Carta" (ponto 9). Neste ano, entretanto, o Comitê Organizador não convidou qualquer governante e parlamentar para o Fórum Social Mundial.

São Paulo, 7 de março de 2002.
Comitê Organizador Brasileiro




Quem organiza

01.06.2006
Quem organiza
COMITÊ ORGANIZADOR DO FSM 2007 - QUÊNIA

Endereço: Masandukuni Lane, Off Gitanga Road
Endereço postal: P.O. Box 63125, 00619 Nairobi Kenya
Telefone: 254-020-3860745 ou 254-020-3860746
Fax: 254-020-2713262
E-mail: socialforum@sodnet.or.ke


ESCRITÓRIO DO COLETIVO RESPONSÁVEL PELO FSM

Telefone / fax (Brasil 55) (São Paulo 11) - 3258-8914
E-mail: fsminfo@forumsocialmundial.org.br
Endereço: Rua General Jardim, 660, 8º andar, sala 81
Cep 01223-010
São Paulo- SP Brasil





21.09.2007
Comitês de Mobilização brasileiros
• Comitê Afro do Brasil
E-mail: kikabessen@hotmail.com
Endereço: Rua Silveira Martins, 131 - sala 22- Praça da Sé
Telefone: 11 62823696
Responsável: Conen - Flavio Jorge ou Kika
Pessoa para Contato: Kika Silva
Organizações participantes: Movimento Negro Unificado (MNU), Agentes de Pastoral Negra (APNs), Grupo de União e Consciência Negra (GRUCON/Nacional), União de Negros Pela Igualdade (UNEGRO), Coordenação Nacional de Entidades Negras (CONEN), Fórum Nacional de Mulheres Negras (FNMN), Comissão Nacional Provisória da Articulação das Comunidades, Negras Rurais Quilombolas (CONA/CONERQ), Sindicalistas Negros de Centrais Sindicais - SNCS ( representação provisória pela CNCDR-CUT), Setorial Negro da CMP - Central de Movimentos Populares

• Comitê Amapá
Macapá - AP
E-mail: comiteamapafsm@hotmail.com
Telefone: (96)9976-8430
Contato: Newton Marcelo (newton_marcelo@hotmail.com)
Organizações participantes: Grupo de Trabalho Amazônico - GTA, Instituto de Estudos Sócio Ambientais (IESA), Associação dos Artesões do Estado do Amapá, Instituto das Mulheres Negras do Amapá (IMENA), Assessoria da Juventude

•Comitê Baixada Santista
Baixada Santista
E-mail: sitediocese@diocesedesantos.com.br ; fs@unisantos.br; pascoalvaz@bol.com.br
Endereço:Av. Rodrigues Alves, 254 – Bairro Macuco – Santos – São Paulo – CEP 11015-200
Contato: Francisco Emílio Surian /Pascoal Vaz
Telefone: (13)3221-2964
Organizações participantes: UNISANTOS – Universidade Católica de Santos; Comitê do Plebiscito da ALCA da Baixada Santista; Diocese de Santos; Jornal Presença Diocesana; OI - Assessoria de Comunicação; Cooperativa de trabalho Cultural; Fórum da Cidadania (representando diversas entidades e grupos organizados); Igreja Pompéia - Jovens Núcleo do Porto; Cáritas Diocesana; Sindicato dos Bancários de Santos; Sindicato dos Metalúrgicos de Santos; Movimento Fé e Política; Cooperativa de Trabalho Cultural

•Comitê Campinas – SP
Site: www.fsmcomitepaulista.org/campinas
E-mail: forumsocialcampinas@comitepaulista.org
Endereço: Estrada Municipal do Roncaglia, 450, casa 211 – Valinhos – SP – CEP – 13272-721
Contato: José Roberto Cabrera (jr.cabrera@uol.com.br)
Telefone: (19) 3871-7231 (José Roberto Cabrera) ou (19) 3231-8844 (Maurício)
Organizações participantes: alguns sindicatos, como o dos Professores, dos metalúrgicos, o MST e seus representantes na cidade, o Grupo Identidade (movimento homossexual), a Pastoral Operária, o Instituto 21 e o ATTAC.

•Comitê Capixaba
Vitória - ES
Site: http://forumsocialcapixaba.cjb.net
E-mail: coletivocapixaba@uol.com.br
Endereço: Rua Alberto de Oliveira Santos, Edifício Amis, sala 1501 Centro – Vitória – CEP – 29010-250
Contato: Helder Gomes (helgomes@uol.com.br)
Telefones: (27) 3322 6579/33326637/99463289 e 99461042 (Sindiupes)
Organizações participantes: Sindiupes, CUT, Sindibancários, Fisenge, Crea-SE, Adufes, MST, M.P.A., Movimento de Moradia, AA Pedagogia UFES, Neja-UFES, Núcleo de Extensão e Pesquisa em Comunicação Social, Sinfrajupe, Projeto "O Sol na Garganta do Futuro", Sindaema, NEMPS (UFES), PET-Economia-UFES, Sindprev-ES, Sindisaúde-ES, Movimento Nacional de Direitos Humanos, Fórum Estadual de Mulheres

• Comitê Carioca
Rio de Janeiro - RJ
E-mail: forumsocialcarioca@hotmail.com
Endereço:Av. Rio Branco , 109 / 16o. andar - Centro – Rio de Janeiro – RJ – CEP – 20054 - 900
Telefones: (21) 2232-8178 ramais: 33 e 27 Fax: ramal 22
Contato: Luis Mario Benken
Organizações participantes: Mov. Nac. Direitos Humanos/Jussol, Movimento Humanista, Sindifesp-RJ, Dieese, Cofecon, Sindecon-RJ, Corecon-RJ, Inca-Cgil, Unafisco-sindical, Fam-Rio, Fórum Popular do Orçamento do Rio, CTO-Rio, Sintrasef, ATTAC-RJ, PACS, ABI, CNDDA, Ibase, IAB, CUT-RJ, Fórum Popular do Plano Diretor, Pastoral Social da Diocese de Barra do Piraí/Volta Redonda, Rádio Bicuda, MOP.20 novembro, IDEPS, MST-RJ, Grupo Pela Vidda, C.A Economia-UFRJ, Modecon, Associação de Moradores de Neves (Amo-Neves/São Gonçalo) e do Recreio (Amaraciv), Sinfa-RJ, Sinsafispro, SindsPrev-RJ, Sindicato dos Engenheiros - RJ, Federação dos Sindicatos dos Engenheiros - RJ, Consulta Popular RJ, Adufrj, Cetrab, Aepet, CREA-RJ, Rede Cidadania, Sindicato Carioca dos Fiscais de Renda/RJ, Forum Fisco RJ, Afiperj, Os Verdes, Central Movimentos Populares, Simpol, Centro Popular de Cultura Aracy de Almeida, Instituto Zé Luiz e Rosa Sundermann, União Estadual dos Estudantes/RJ, Fórum Estadual de Luta-Terra, Trabalho e Cidadania, ICEPAJ, Sintufrj, C.A. História-UFRJ (Camma), Mov. Rio Cidadão, UJS – RJ, Sepe, ICA, Cedac, Balcão de Direitos/Viva Rio, Sindicato dos Petroleiros RJ e Conferência dos Religiosos do Brasil - CRB.

• Comitê Gaúcho
Porto Alegre - RS
E-mail: cgfsm2005@portoweb.com.br
Endereço: Rua Barros Cassal, 283 – bairro Floresta. CEP: 90035.030
Contato: Lucia Simões
Telefone: (51) 3228-8780
Organizações participantes : há cerca de 280 entidades que constituem a
Coordenação Ampliada do Comitê Gaúcho. A Coordenação Estadual é composta
pelas seguintes entidades: ABONG, AJURIS, ATTAC, CIVES, CJP, CPERS, CUT,
MST, Comitê Juventude do RS, Comitê Afro

• Comitê Mato Grosso do Sul
Campo Grande - MS
E-mails: mstms@terra.com.br , cptms@zaz.com.br , cddhms@terra.com.br
Endereço:Rua Nicolau Fragelli, 42 – Bairro Amambaí – Campo Grande – MS – CEP – 79008.570
Telefones: (67) 384-3840, 324-7729, 382-2335
Contatos: Marcio Bizoli, Dionísio Feltrin, Nancineide Campos
Organizações participantes : MST, Comissão Pastoral da Terra (CPT), CEDAMPO, Centro de Direitos Humanos Marçal de Souza (CDDH)

• Comitê Mineiro
Belo Horizonte - MG
Site: www.fsmmg.ongnet.org.br
E-mails: corecon-mg@cofecon.org.br, fsmmg@ongnet.org.br, cptms@zaz.com.br, cindecon-mg@bol.com.br
Endereço:R. Paraíba, 777 – Bairro Funcionários – Belo Horizonte – Minas Gerais – CEP – 30130-140
Contato: Maria Dirlene Trindade Marques (dirlene@face.ufmg.br)
Telefone: (31) 3261-5806
Organizações participantes: Caritas, CNBB, UNSP, Sindiute, Conselho Regional de Economia e Sindicato dos Economistas (Casa do Economista), FNL, Visao Mundial, Unafisco, Conselho Regional de Biblioteconomia. Outras entidades atuantes: Apubh, Sindicato dos Psicólogos, Unitrabalho, Cedefes, DCE-UFMG, DCE-PUC, UNE, CAAP-MG, Sindocefet, MST, Consulta Popular, Attac, CREA-MG

• Comitê Organizador do 5° Acampamento da Juventude – FSM
Porto Alegre - RS
Site: www.acampamentofsm.org
Site: www.acampamentofsm.org
E-mail Geral: acampamento@acampamentofsm.org
E-mail Infra-Estrutura: infra@acampamentofsm.org
E-mail Comunicação: comunicacao@acampamentofsm.org
Endereço: Rua André Caruso da Rocha - Parque Harmonia (atrás da
Churrascaria Galpão Crioulo)
Contatos:
Ana Paula de Carli - anapaulafsm@yahoo.com.br
André Mombach - andremombach@yahoo.com.br,
Fernando Campos Costa - ferccosta@yahoo.com.br
Viliano VG Fassini - viliano@terra.com.br
Telefone: 51 3228-3769

• Comitê Paranaense
Curitiba
E-mail: fecpr@pop.com.br
Contato: Maurício Cheli
Telefone: 41 9634-7510
Organizações Participantes: UBES-Regional PR - Sindicato dos Bancários de Curitiba- APUFPR- Amigos das Águas- UNEAP- PJMP- Centro de Formação Cultural e Artístico- H. Pequeno Príncipe- SENGE-PR- Obra Kolping-PR- Brasil Oikos Mídia- GELV- CEFURIA- Terra de Direitos- Via Campesina- IPAD- UPES- CREA_PR- ANEDE- UFPR Educação.Além dessas , as outras que participam são: Fundação Estadual de Cidadania-CUT- Centro Max Weber-ONG Ambiental Norte do PR- Fórum das Entidades Culturais.

• Comitê Paulista
São Paulo - SP
Site: www.fsmcomitepaulista.org
E-mails: fsm@fsmcomitepaulista.org
Endereço: Rua Cerro Cora, 550 Sala 22 – Alto da Lapa – São Paulo – SP – CEP – 05061-100
Contato: André Rodrigues Nagy (arnagy@seade.gov.br), Salete Valesan Comba (salete@paulofreire.org)
Telefone: 3021.5536 (Salete) – 3224.1767 (André)
Organizações participantes : ATTAC - São Paulo, Sindicato dos Engenheiros do Estado de São Paulo (SEESP), Instituto Paulo Freire-IPF, Comunidade José Cardjin-CJC, Conselho Regional de Psicologia (CRP), MST
Comitês de Mobilização do FSM vinculados ao Comitê Paulista: Comitê Paulista de Juventude, Comitê da Baixada Santista, Comitê do Vale do Paraíba e Comitê de São Francisco Xavier

• Comitê São João del Rei – MG
São João del Rei - MG
Site: www.forumsocialdelrei.portalh.com.br
E-mails: comitedelreifsm@hotmail.com e forumdelrei@bol.com.br
Endereço:
Contato: André Aristóteles da Rocha Muniz (andremuniz737@hotmail.com)
Telefones: (32) 3371-5753
Organizações participantes: Grupo de Estudos e Pesquisas sobre o Terceiro Setor (composto por alunos e professores da Universidade Federal de São João del Rei), Núcleo de Estudos e Pesquisas sobre o Trabalho (NEPET/UNITRABALHO), Coordenação Diocesana de Pastoral (DIOCESE), Igreja Presbiteriana, União Sindical, Projeto Acontece da Coordenadoria de Ação Política do Movimento Familiar Cristão/ Associações de Moradores da cidade

• Comitê Rio Grande
Rio Grande - RS
E-mail: alien@vetorialnet.com.br
Contato: Neila (neila@vetorialnet.com.br)

• Comitê Rio Grande do Norte
Natal - RN
E-mail: comitefsmrn@yahoo.com.br
Contatos: Aluízio Matias dos Santos (aluiziomatias@yahoo.com.br)
Telefones: (84) 3221-5932 / 9964-7102
Organizações participantes: Centro de Direitos Humanos e Memória Popular (CDHMP), Marcha Mundial de Mulheres-RN, CUT-RN, Centro Feminista 8 de Março, ONG Novamente, ONG Canto Jovem, Fundação Fé e Alegria, Centro de Estudos, Pesquisa e Ação Cultural (CENARTE), Associação de Apoio as Comunidades do Campo (AACC), Movimento Nacional de Direitos Humanos-RN, Rede Estadual de Direitos Humanos-RN, Jornal Tecido Social, Kilombo Organização Negra do RN, Centro de Estudos e Pesquisas e Ação Cidadã (CEPAC), Diretório Central de Estudantes-UFRN, Cooperativa Techne, Centro de Educação e Assessoria Herbert de Souza(CEAHS), Fórum de Mulheres do RN, CPT Mossoró; CEDHEC, ANRAP, Coletivo Leila Diniz, Grupo de Teatro La Truppe, Galeria Zoon de Fotografia, Zuzu Angel Articulação Feminista, Centro Cultural Bazarte, Grupo Bandeira Lilás, GAMI, UMES, APES, Cia Escarcéu de Teatro, Grupo Pau e Lata, Terra Viva, Visão Mundial, Espaço Xique-Xique, SINSENAT.
*Reunião todas as segundas-feiras, às 18h00, na sede do BAZARTE


02.10.2007
Processo FSM 2008
O Conselho Internacional do Fórum Social Mundial definiu que, em janeiro de 2008, não haverá um evento centralizado do processo FSM. O que vai haver é uma semana de mobilização e ação global, marcada por um dia de visibilidade mundial em 26 de janeiro de 2008. Fóruns locais, regionais, temáticos também estão programados ao longo do ano.

O Dia de Mobilização e Ação Global será realizado por todas as organizações e movimentos em nível internacional, nacional e local que queiram envolver-se. Cada rede, movimento, organização decidirá como organizar suas próprias ações, seus temas, seu formato e como irá articular suas conexões nacionais e internacionais.

Veja mais informações sobre como fazer parte deste processo na seção "Como participar".

Leia também a íntegra do chamado para um Dia de Mobilização e Ação Global.





02.10.2007
Processo FSM 2008 - Como se envolver?
O Dia de Mobilização e Ação Global será realizado por todas as organizações e movimentos em nível internacional, nacional e local que queiram envolver-se. Cada rede, movimento, organização decidirá como organizar suas próprias ações, seus temas, seu formato e como irá articular suas conexões nacionais e internacionais.

Para participar desde já desta mobilização, sua organização deve:
- assinar o chamado global (no site www.wsf2008.net)
- divulgá-lo ao máximo utilizando seus próprios meios de comunicação (boletins, sites, jornais, programas de rádio, ou redistribuindo em seus mailings os boletins do FSM): veja alguns materiais de apoio de divulgação mais abaixo
- organizar suas próprias ações
- dar a maior visibilidade possível às ações já planejadas para a semana e o dia 26 de janeiro de 2008
- propor conexões nacionais e internacionais entre ações

A implicação dos atores sociais não se dará apenas com ferramentas técnicas como email ou internet: é preciso que todos e todas divulguem informações, falem com seus contatos e com outros movimentos e organizações de todas as regiões do planeta, participando ativamente do processo de mobilização.

Em um segundo momento, será necessário construir concretamente as mobilizações em nível local. Neste ponto, um site na internet permitirá que cada um/a proponha uma ação e construa alianças e coalizões em torno a ela. Mas esta ferramenta só funcionará se houver anteriormente um processo real de encontro e contato entre os grupos.

Em um terceiro momento, se dará ampla divulgação às ações definidas.

O que pode ser feito?

*demonstrações públicas (marchas, paradas, ocupações, bicicletadas)
*panfletagens (editar cartazes, cartilhas e declarações públicas e distribui-los nas comunidades e locais públicos como mercados, estações de ônibus, trens, escolas e igrejas)
*atividades culturais e artísticas em geral: performances, intervenções, sessões de cinema e debate, shows, teatro, grafites, oficinas de criação de banners, bonecos, instrumentos musicais
*desfile de tochas ou velas
*conferências, palestras, debates em universidades, fábricas, centros comunitários e igrejas
*assembléias e mutirões
*boicotes
*fóruns temáticos e regionalizados

... entre outras atividades

Por que um Dia de Mobilização e Ação Global?

Desde o levante zapatista, em 1994, e as manifestações de Seattle, em 1999, surge uma aliança mundial de movimentos contra a globalização neoliberal, a guerra, o patriarcado, o racismo, o colonialismo e os desastres ambientais.

Esse movimento teve como marcos as grandes mobilizações internacionais como as realizadas em Gênova e Cancun contra a OMC. Atingiu seu apogeu em 15 de fevereiro de 2003, com a grande manifestação mundial contra a invasão do Iraque pelos Estados Unidos.

Nos últimos anos, esses movimentos cresceram enormemente, mais enraizados na lutas nacionais e realidades locais. Em todos os cantos do planeta, mobilizações surgem em diferentes áreas. O principal desafio é fazer a conexão entre estas lutas locais e nacionais com objetivos mundiais, para fortalecer lutas, alternativas e campanhas e ampliar alianças.

Este é o propósito do Dia de Mobilização e Ação Global em 2008: atuar localmente para mudar globalmente! Dar visibilidade às lutas locais por meio de um dia de ação comum!


Por que agora? Por que o dia 26 de janeiro?

Desde 2001, o Fórum Social Mundial (FSM) se tornou o principal espaço no qual todos esses movimentos se encontram e constroem alianças.

O FSM não é um evento. Ele é um processo que está vivo nos fóruns locais, nacionais, regionais e temáticos, nas muitas lutas plurais, campanhas, alternativas para um outro mundo que são desenvolvidas em todo o planeta.

A decisão que o próximo FSM se realize em 2009, dois anos após o FSM em Nairóbi (Quênia, África), abriu espaço para que uma ampla mobilização global se realize em 2008. A data, 26 de janeiro, foi escolhida como forma de manter o confronto com o Fórum Econômico Mundial, encontro da elite neoliberal que acontece sempre em janeiro em Davos (Suíça) para aprofundar a teoria e a prática da dominação do mundo pelo capital.

Saiba mais sobre o Dia de Mobilização e Ação Global:
* Site www.wsf2008.net.
* Íntegra do chamado para um Dia de Mobilização e Ação Global

* Alguns materiais de divulgação:

Boletim FSM com o chamado em:
- Alemão
- Árabe
- Catalão
- Coreano
- Espanhol
- Francês
- Grego
- Hindi
- Inglês
- Italiano
- Japonês
- Português
- Romeno
- Russo
- Swahili
- Turco

Folder sobre o 2008 em:
português, inglês, francês e castelhano.

Marcadores: , , ,

terça-feira, 8 de abril de 2008

Canaval de Primavera:Heitor de Pedra Azul, em Troyes, França



O amigo músico ,mineiro de Pedra Azul ,atualmente reside em Troyes na França e prepara seu "Carnaval de PRIMAVERA":

DIXI CAFE

présente
Concert

CABÔCLOS E ORIXAS
Carnaval du Printemps!
Heitor de Pedra Azul, voix et guitare
Paulinho da Caixa, percussions
LE VENDREDI 18 AVRIL 2008

21h00

12, rue Pithou
10000 - Troyes

Marcadores: , ,

Libertad, Liberdade,por Gislaine Canales



SER livre para ser ela própria, é o desejo intrínseco de toda a pessoa.A liberdade tem limites do permissível, mas precisa do livro arbítrio para as tomadas de decisão.
Livre e voar, o sentimento da alma poética, bem expresso aqui, por Gislaine Canales (Balneário de Camboriú).Leiam abaixo (Clevane)


LIBERTAD...

Gislaine Canales


Me siento libre, porque soy amada,
soy de los cielos, corro con los vientos,
voy flotando en una noche escarchada,
¡en dulces alas de mis sentimientos!

Hago de libertad mi gran estrada,
y doy amor en todos los momentos,
transformando lo mío, casi nada,
¡y en la nada, los grandes sufrimientos!

Su azul del mar, la imagen reflejada,
la imagen de mi propio corazón,
¡en renacer eterno de emoción!

Libre y feliz, yo sigo por la vida,
con mil estrellas, al brillar, converso,
¡plantando sueños por el Universo!



Liberdade
Gislaine Canales

Me sinto livre, porque sou amada,
pertenço aos céus e corro como os ventos,
vou flutuando na noite enluarada,
nas doces asas dos meus sentimentos!

Faço da liberdade, a minha estrada,
e dou amor em todos os momentos,
transformando em meu tudo, um quase nada,
e em nada, todos os meus sofrimentos!

No azul do mar, a imagem refletida,
a imagem do meu próprio coração,
num renascer eterno de emoção!

Livre e feliz, eu sigo pela vida,
com mil estrelas a brilhar, converso,
plantando os sonhos meus pelo Universo

Marcadores: , ,

Antologia 1 de Poetas del Mundo,autores



A Embaixadora de Poetas del Mundo Delasnieve daspet, envia a relação dos poetas participantes do primeiro volume da antologia que será lançada no Congresso, em maio,na capital do RN, Natal.Estão abertas as inscrições para o segundo volume.
Confira:

ÍNDICE DOS POETAS



ADEMIR BACCA

AÍDA DOMINGOS

ALBA ALBARELLO

ALZIR FERREIRA

ANA LUIZA BULARQUI DA PENHA

ANGELO D´ÁVILA

ANTONIO BARRETO

ANTONIO RICARDO ACCIOLY CAMPOS

ARAHILDA GOMES NEVES

ÁRIAS MANZO

ARLETE MARIA

BENEDITA SILVA AZEVEDO

BENVINDA LEITE PALMA

BETTY BARCELLOS

BILA BERNARDES

CARLOS LUCIO GONTIJO

CELIA ARANTES

CÉLIA LAMOUNIER

CÍCERO CHRISTÓFARO

CLAU ASSI

CLAUDIO MÁRCIO BARBOSA

CLEVANE PESSOA

CELITO MEDEIROS 117 N

CYRO MASCARENHAS RODRIGUES

DJALMA AMORIM DE SANTANA

DELASNIEVE DASPET

DEOMIDIO MACEDO

DETH HAAK

DIULINDA GARCIA

DIVA PAVESI

DOROTY BARBOSA J DIMOLITSES

EDISON PEREIRA DE ALMEIDA

ELOIZA PORAZZA

FERNANDA PEDRAZZI

FERNANDO OLIVEIRA

FRANCISCA CARVALHO MESSA

FRANCISCO DE PAULA PINTO

GERALDO FERNANDES

GISLAINE CANALES

GOULART GOMES

HAMILTON FARIA

HELENA ARMOND

HELENICE MARIA REIS ROCHA –

HERNANY TAFURI

IREM TOAL

ISABEL ERI CAMARGO

ISNELDA WEISE

ÍTALO ROVERE

IZA MOTA

JANIA DE SOUZA

JOÃO JUSTINIANO DA FONSECA

JOÃO SEVIVAS

J.C. RAMOS FILHO

JOSÉ CASTRO

JOSÉ PEIXOTO JR

JULIANA SILVA VALIS

LAURA LIMEIRA

LEA LU

LILIAN MAIAL

LUCIA HELENA PEREIRA

LUCIANE SILVA

LUIZ LAUSCHNER

LUIZ POETA

LUIZA PORTO

MARIA DO CÉO COSTA

MARIA CLARA SEGOBIA

MARIA DE FATIMA MOTTA

MARILZA CASTRO

MARDILÊ FRIEDRICH FABRE

MARILIA BECHARA

MÁRIO FEIJÓ

MARISA CAJADO

MEG KLOPPER

MESSODI BENOLIEL

MILLA FERNANDES

NADIR SILVEIRA DIAS

NELI NETO

NELSON VIIEIRA DE SOUZA

NIDIA VARGAS

NILVA FERRARO

ODMAR BRAGA

OSIEL FERREIRA VIEIRA

PACCELLI M. ZAHLER

PEDRO GARCIA

PEDRO GRILLO

REGINA REIS

REGINALDO FIGUEIREDO

ROSA RÉGIS

RUBENS JARDIM

SÁTIRO COUTINHO RODRIGUES

SELENE ANTUNES

SERGIO ANTONIO MENEGUETTI

SERGIO GERÔNIMO

SILVIA ARAUJO MOTTA

SOLANGE RAMALHO

SONIA NOGUEIRA

TEREZA NEUMANN

VALDEK ALMEIDA DE JESUS

VANIA DINIZ

VENÂNCIO JOSIEL DOS SANTOS

VILMA CUNHA

WALNÉLIA PEDERNEIRAS

WILSON GUANAIS

























__._,_.___
Mensagens neste tópico (1) Responder (através da web) | Adicionar um novo tópico
Mensagens | Links
Divulgando por
Delasnieve Miranda Daspet de Souza
Embaixadora Universal da Paz - Genebra - Suiça - Cercle Universel des Ambassadeurs de la Paix
Embaixadora para o Brasil de Poetas del Mundo
www.delasnievedaspet.com.br - www.pantanalms.tur.br - www.lunaeamigos.com.br
http://www.delasnievedaspet.com.br/embaixadora_universal_da_paz.htm
http://www.poetasdelmundo.com/verInfo_america.asp?ID=600
http://grupobrasilmostratuacara.blogspot.com/



"NATAL, UM MAR DE POESIA E DE PAZ"
VISITEM:
www.poetasdelmundo.com
http://poetasdelmundo.nafoto.net
http://poetasdelmundo.blogstop.com
www.congressopoetasdelmundo.com

segunda-feira, 7 de abril de 2008

Arte na Praça com Ivald Granato em SAMPA





Arte na Praça

com Ivald Granato



"Artistas visuais agora têm mais um espaço em um novo projeto na Feira de Artes da Praça Benedito Calixto: é o Arte na Praça. Uma vez por mês, o Jornal da Praça apresentará um artista e sua obra, através de exposição ou happenings. O evento é uma iniciativa do Jornal da Praça em parceria com O Autor na Praça.

Para abrir essa nova fase, Arte na Praça apresenta, dia 12 de abril, a partir das 14h, o artista plástico Ivald Granato no Espaço Plínio Marcos. A tarde será de performance e autógrafos do livro Ivald Granato Art Performance, da Coleção Portfolio Brasil (J.J. Carol Editora). Veja o site: http://www.art-bonobo.com/ivaldgranato



Sobre Ivald Granato Art Performance

Lançado pela Coleção Portfolio Brasil, da Editora J.J. Carol, o artista performático Ivald Granato amostra em seu novo livro suas performances do período de 1978 até os dias atuais. Granato é um dos grandes nomes da arte brasileira, além de exercer grande representatividade junto aos meios acadêmicos e artísticos, projetando o trabalho de artistas no mercado europeu.

Tendo como ponto de partida o primeiro livro sobre seu trabalho - referente à época em que a Ditadura Militar é contestada, de 1964 a 1978 - esta continuação de sua produção reflete todo o talento do artista, que tem sua performance documentada nas mais diversas maneiras: pinturas, fotografias, esculturas, vídeos, cerâmicas, telas, etc. Tudo isso sempre com o objetivo de se renovar, agradando àqueles abertos a inovações e causando choque aos mais conservadores.

Como não poderia deixar de ser, há um bom espaço reservado para 'Mitos Vadios', o famoso acontecimento que contestou a 1a. Bienal Latino-Americana em 1978, Granato faz uma performance para 'deixar claro' que não é submisso ao fundador da Bienal de São Paulo.

A Bienal de São Paulo de 1979, inclusive, é bem representada com performances e quadros, bem como a Pinacoteca do Estado SP, com o talentoso performático entretendo as crianças.

Também vale a pena ressaltar o cômico texto 'Joseph K., o Baratão' de José Roberto Aguilar, as diversas exposições individuais e coletivas, como 'Viva München', em 1984 na Alemanha, e a Bienal de Veneza, em 2000, e as mais variadas fotografias do artista com personagens marcantes no Brasil e no exterior, desde 1978 até a atual década. Nelas, destacam-se: Ron Wood, Lula, Mário Covas e Miguel Arraes (Política Nacional), Raul Seixas, Gilberto Gil, Luiz Melodia, Hélio Oiticica e Hector Babenco (Cultura Brasileira), além de muitos outros."





Serviço:

Arte na Praça com Ivald Granato e convidados.

Espaço Plínio Marcos – Tenda na Feira de Artes da Praça Benedito Calixto – Pinheiros

Dia 12 abril de 2008, sábado, a partir das 14h.



Informações:



Jornal da Praça/projeto Arte na Praça

http://plazajornal.blogspot.com / plazajornal@gmail.com / (11) 3083-7788



Edson Lima/projeto O Autor na Praça

edsonlima@oautornapraca.com.br / (11) 3746-6938 / 9586-5577



J.J.Carol Editora

http://www.jjcarol.com.br / jacques@jjcarol.com.br / (11) 3871-1888







Realização

Jornal da Praça



Apoio

O Autor na Praça, AAPBC, J.J. Carol Editora,

Restaurante Consulado Mineiro, Cantinho Português

&

BeatnikBluesCafe

Fonte:"Arte na Praça - Ass. Imprensa"

(Projeto Arte na Praça - Benedito Calixto)

Marcadores: